terça-feira, 27 de novembro de 2012

PENSE BEM: VALE A PENA ORAR?



INTRODUÇÃO:
1. Pergunto: Vale a pena orar? Quantas vezes você já orou por algo específico e parece que ninguém te ouviu?
2. Insisto: Vale a pena orar? Quantas vezes você orou por alguém em prol de saúde, emprego e soluções, mas nada aconteceu?
3. Persisto: Vale a pena orar? Quantas vezes você orou por um problema e viu acontecer a mesma coisa que acontece com pessoas que não oram?

I. SATANÁS APROXIMOU-SE DE JESUS NA HORA EM QUE ELE MAIS SE DEDICAVA À ORAÇÃO:

O famoso ditado, “quanto mais oro, mais assombração me aparece” torna-se o lema na vida de Jesus:
1. No deserto, no auge de Sua consagração, Jesus teve a visita de Satanás: Leia Lucas 4:1-3. Satanás não foi tentar a Jesus antes dEle orar, foi depois. Se a oração tem poder para expulsar o diabo, por que ele se aproximou de Jesus quando mais orava e mais se consagrava por meio do jejum?
2. No Getsêmani, quando Jesus intensamente clamava a Deus, Satanás entrou em Judas: Leia Lucas 22:3. Só depois da terceira tentação que Jesus conseguiu expulsar o líder dos demônios, e quando conseguiu foi por pouco tempo (Lucas 4:13); agora orando no Jardim, Satanás se aproxima dEle por meio de Judas. Jesus orou por todos os Seus discípulos na ceia (João 17); sendo a mais longa oração de Jesus registrada, será que Ele deveria ter orado mais por Judas?
3. Na escolha dos discípulos Jesus orou a noite inteira para saber a quem escolher, mesmo assim não foi bem sucedido: Leia Lucas 6:12. Jesus orou tanto para que Deus abençoasse a escolha daqueles que seriam treinados para apóstolos, mesmo assim veio um que foi chamado até de diabo (João 6:70-71).

II. JESUS REVELA O REAL VALOR DE DEDICAR-SE À ORAÇÃO VERDADEIRA:

A oração verdadeira não tem a ver com determinar algo a Deus, mas tem a ver com passar tempo com Deus, fazer Sua vontade e depender dEle para tudo:
1. Orar é perca de tempo se a motivação, a intensão e os desejos não forem bons: A oração não é uma arma nem um instrumento para coagir Deus fazer o que você quer. Orar é aceitar a vontade de Deus, confiando em Sua sabedoria sem  importar-se com as circunstâncias (Lucas 22:41-42).
2. Orar é buscar conforto na presença de Deus diante das duras provas da vida: Diversas perguntas sobre oração não tem respostas claras e exatas. Por exemplo:
a) Por que no auge da consagração de Jesus no deserto é que Satanás apareceu para tentá-Lo?
b) Por que Jesus orou tanto para escolher Seus discípulos e mesmo assim um deles foi o maior traidor da história?
c) Por que no momento em que Jesus mais dependia do poder do Pai é que Satanás se aproximava dEle?
Mesmo sem ter respostas certas para estas e outras perguntas, o que aprendemos é que em todas as ocasiões em que orava, Jesus teve a presença dos anjos confortando-O (Lucas 22:43-44).
3. Orar não é ter tudo o que pedimos a Deus, mas é pôr a vida em Suas mãos  tendo certeza de que Ele sabe o que é melhor: Jesus encontrou forças na oração, levantou a cabeça, fez a vontade do Pai, custou-lhe a vida, mas saiu vitorioso. Com Seu sangue escreveu a história da maior guerra que alcançou a maior vitória do Universo.

CONCLUSÃO:

1. O ato de orar pode não mudar as circunstâncias, mas confere forças para vencer as adversas circunstâncias deste mundo dominado pelo mal.
2. O ato de orar não torna ninguém blindado diante das astutas tentações do diabo, mas torna forte aquele que ora para resistir as mais duras tentações.
3. O ato de orar não significa impôr a vontade humana a Deus, mas buscar a vontade de Deus para a vida humana e sair vitorioso até mesmo nas piores circunstâncias da história.

APELO:

1. Ore, pois a oração é fundamental à vida espiritual do cristão em todas as circunstâncias; para ser forte e vencer é preciso orar!
2. Ore a Deus todos os dias sempre confiante que Deus sabe o que é melhor e que Jesus já venceu por você. Desta forma, vale a pena orar!
3. Ore como Cristo orava para que, mesmo em face das dificuldades, você saia vencedor; Jesus te dará a vitória e verás que vale a pena orar!

Pr. Heber Toth Armí

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

AS PROFECIAS MAIAS E O FIM DO MUNDO NA BÍBLIA


INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Daniel 2:1-47
1. O fim do mundo será em 21 de dezembro de 2012? Muito se tem comentado do fim do mundo, parece que há grandes indícios de acontecer.
2. O mundo tem seu destino firmado nas profecias dos índios maias? Entre tantas datas marcadas para o fim do mundo a profecia maia está em alta na atualidade.
3. O mundo vai acabar mesmo? Como? Ainda que poucos saibam o quê realmente acontecerá no futuro, é possível saber o suficiente para evitar o desespero; mas para isso é necessário uma revelação segura: A Bíblia.

I. NADA E NEM NINGUÉM PODE ANTEVER O FIM DO MUNDO, POIS SÓ DEUS CONHECE OS MISTÉRIOS DO FUTURO – Daniel 2:1-19

1. A história de Nabucodonosor revela que ninguém pode prever o futuro: Nem um grande rei, nem magos, nem adivinhos e nem os mais sábios dos homens podem sequer saber o que um homem sonhou à noite. Portanto, os maias não podem prognosticar nada certo para o futuro.
2. A história nos mostra que o maior rei do maior império não tinha controle do futuro: Diante da ansiedade de saber o que sonhara e sua interpretação, Nabucodonosor ameaçou a todos os sábios, magos, adivinhos, astrólogos e encantadores; mesmo assim, nada fizeram nem quanto ao passado (sonho) muito menos quanto ao futuro.
3. A história do rei Nabucodonosor revela que só Deus conhece a história do mundo e seu futuro: Só Deus, mais ninguém, conhece os mistérios do futuro do mundo. Então, duvide das profecias dos Maias e de qualquer profecia extra bíblica.

II. OS MAIS SÁBIOS DO MUNDO NADA PODEM DIZER SOBRE O FUTURO PORQUE O CONHECIMENTO DO FUTURO PERTENCE SÓ A DEUS – Daniel 2:20-25

1. Ninguém, por mais sábio que seja, pode saber o que acontecerá no futuro: Todos os sábios foram, não só convocados por Nabucodonosor, mas por ele foram ameaçados à morte; mesmo assim, nada, absolutamente nada, puderam revelar daquilo que o rei lhes pedira.
2. Ninguém, por mais religioso que seja, pode desvendar os mistérios que envolvem o futuro: Daniel reconheceu sua limitação, embora fosse muito religioso e respeitado como um dos mais sábios. Ele dependeu de Deus para saber os mistérios sobre o sonho do rei. Com relação ao fim do mundo, será que Deus daria informação aos maias e não aos cristãos?
3. Ninguém, a não ser Deus, conhece o futuro e revela aos Seus profetas: Daniel clamou a Deus sabendo que Ele é a fonte de toda profecia. Conquanto, qualquer definição sobre o futuro que não dependa da revelação divina é questionável por ser fruto da engenhosa especulação da limitada mente humana.

III. OS SERES HUMANOS PODEM CONHECER O FUTURO POR MEIO DA REVELAÇÃO DE DEUS EM SUA PALAVRA, FORA DISSO É SÓ ESPECULAÇÃO – Daniel 2:26-47

1. Qualquer coisa fora do que Deus revelou é mera fantasia: Deus revelou a Daniel com base no sonho do rei as sucessivas potências que governariam o mundo antes que o reino divino fosse estabelecido para sempre. Qualquer coisa diferente disso não merece crédito!
2. Qualquer um que crê no que não está na Bíblia está fadado ao desespero e a ignorância: A Bíblia é a única fonte segura para saber o que acontecerá no futuro; nela está o plano maravilhoso de Deus detalhado para o futuro da humanidade. Porém, quem se apega a outras fontes está fadado ao desespero e à ignorância.
3. Qualquer coisa que esteja fora da revelação de Deus é incerta: Deus tem a primeira e a última palavra no que diz respeito ao futuro, e Deus não escreveu o destino do mundo nos astros e nem nas estrelas. Fora da Bíblia há somente especulações e fantasias que causam sensacionalismo e, por fim, a incredulidade!

CONCLUSÃO:

1.  O conhecimento do futuro não está entesourado em algum astro ou mesmo em um milhão deles: As ideias da Nova Era, as muitas adivinhações modernas e até mesmo a astrologia (horóscopo) tem seu berço na Babilônia; e, foram completamente incapazes de revelar qualquer coisa do pedido do rei Nabucodonosor. Portanto, a profecia maia, que é fundamentada nestas ideologias, não é confiável!
2. O futuro só pode ser conhecido por um Ser que sabe sobre todos os elementos e fenômenos que existem em todo o Universo: Só Deus sabe tudo sobre tudo. É uma incoerência confiar em quem não é confiável e desconfiar de quem é confiável! Troque as profecias maias pelas profecias bíblicas para que substituas o medo pela esperança!
3. O futuro pode ser controlado por quem conhece o que está além do limite do presente: Deus tem um plano para o mundo, e tem poder e autoridade para executá-lo. Ele revelou esse plano, conheça-o estudando a Bíblia! 

APELO:

1. A teoria dos maias está baseada nos astros, não na revelação de Deus; então, elimine-a de tuas crenças!
2. A teoria dos maias não os ajudou nem a sobreviver, os maias não existem mais; Deus é a fonte da vida e do saber, busque-O como fez Daniel.
3. A teoria dos maias causará incredulidade no mundo, estude a Bíblia e creia no que Deus revelou e tenha certeza do que acontecerá no futuro.

Pr. Heber Toth Armí

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

A PRESENÇA INABALÁVEL DE DEUS NA HISTÓRIA DA IGREJA


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Apocalipse 1:8
1. Os manuscritos mais confiáveis apresentam Alfa e Ômega ligado ao tetragrama YHWH, um dos mais antigos nome de Deus Pai.
2. Os termos Alfa e Ômega são atribuídos a Deus Pai, mas Jesus também faz de Si mesmo essa mesma atribuição (Apocalipse 21:6; 22:13). Isso revela que tanto o Filho quanto o Pai são plenamente divinos e eternos (Colossenses 2:9; Hebreus 1:3).
3. O texto de Apocalipse 1:8 tem uma mensagem impactante para a igreja de Deus que enfrenta as opressões impostas pelas potestades do mal (Apocalipse 1:9). A igreja que enfrenta oposição deve saber sobre o poder absoluto do Soberano Deus.

I. DEUS É O ALFA E O ÔMEGA: TUDO O QUE ELE COMEÇA NA VIDA DO SEU POVO SERÁ CONCLUÍDO – Apocalipse 1:8

1. Deus é o Criador de tudo e Ele é dono de tudo: Alfa e Ômega abrem e encerram o alfabeto grego. Ao dizer ser o Alfa e o Ômega Deus indicava totalidade mais absoluta. O poder não está nas mãos das potestades do mal, mas nas mãos de Deus.
2. Deus tem o controle de tudo: Deus é Soberano Senhor do início da história e do seu fim, bem como de todo seu decurso. Todo propósito começado será concluído, Seu maior projeto é o de salvar o mundo.
3. Deus é a esperança da igreja militante: Para a igreja que enfrentava a fúria e a oposição do Império Romano era importante saber que Deus é o Alfa e o Ômega; e, ainda hoje podemos confiar nEle.

II. DEUS É AQUELE QUE É, QUE ERA E HÁ DE VIR: ELE ESTÁ NO CONTROLE DO PASSADO, PRESENTE E FUTURO DE SEU POVO – Apocalipse 1:8

1. Deus é eterno e imutável: O Deus da igreja no Novo Testamento é o mesmo Deus de Israel no Antigo Testamento. Deus era antes que começasse o tempo, é agora e virá dar fim ao tempo de pecado.
2. Deus tem uma relação vital com a história de Seu povo: A mensagem do Apocalipse não é meramente predizer o curso futuro da história; seu propósito é pastoral: guiar, confortar e aconselhar à igreja em tempos de perseguição. Deus sempre fez isso e sempre fará até eliminar completamente os opressores.
3. Deus acompanhará Seu Filho nas nuvens do Céu: Deus virá juntamente com Seu Filho (Mateus 26:64; Apocalipse 1:4; 6:16; Salmo 50:3). Ele há de vir para julgar àqueles que querem destruir Sua igreja; nesse momento será colocado um ponto final na história do pecado!

III. DEUS É O TODO PODEROSO: ELE ESTÁ PRESENTE DE FORMA INABALÁVEL NA VIDA DE SEU POVO – Apocalipse 1:8

1. Deus é onipotente: Não há ninguém e nenhum império por mais poderoso que iguale ao poder do Deus Todo-poderoso. Esse Deus intervém na história de Sua igreja.
2. Deus é Soberano: O poder incontrolável do Império Romano se levantou para esmagar a igreja de Deus, mas Ele está vendo tudo e no tempo certo julgará e ninguém O impedirá.
3. Deus é invencível: Deus é conhecido como o Senhor dos Exércitos, quem está ao Seu lado não será destruído por nada e nem por ninguém. Deus protege aos que lhe pertencem, fique do lado de Deus!

CONCLUSÃO:

1. A integridade de Deus (Alfa e o Ômega), Sua eternidade (Aquele que é, que era) e Sua onipotência (O Todo-poderoso) revelam a todos os que vivem neste mundo que, ao Deus descer com Jesus neste mundo, certamente os fieis serão plenamente libertos e salvos dos poderes do mal.
2. As características de Deus demonstram que Ele é totalmente poderoso para executar todos os Seus mais altos desígnios na vida e na história de Sua amada igreja, a qual enfrenta terríveis pressões neste mundo de pecado.
3. A apresentação de Deus em Apocalipse 1:8 revela para aqueles que aguardam a volta de Cristo (Apocalipse 1:7) que a vitória é inquestionável, a esperança é real e a certeza é absoluta.

APELO:

1. Deus está no controle, com Ele vem a tua libertação se você confia nEle.
2. Deus está agindo, deposite toda a tua vida à Sua soberania.
3. Deus está vindo, prepara-te para se encontrar com Ele.
Pr. Heber Toth Armí

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

JEOVÁ E JESUS: TAL PAI, TAL FILHO!


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico principal: Hebreus 1:3
1.   A missão de Jesus foi complexa, mas Ele a cumpriu cabalmente.
2.  A missão de salvar o mundo era impossível, mas Jesus aceitou o desafio e venceu!
3.  A missão de Jesus foi bem sucedida porque Ele é o Emanuel, Deus conosco (Mateus 1:23).

I. JESUS É TÃO DIVINO QUANTO JEOVÁ, DEUS PAI – Hebreus 1:3

1. Jesus refletiu a glória de Deus Pai em um mundo contaminado com o pecado: Em meio às trevas espirituais e da imoralidade Jesus veio em nosso mundo e refletiu o resplendor da glória de Deus Pai.
2. Jesus é a expressa imagem da pessoa de Deus Pai: Jesus é a expressão exata do Ser de Deus, pois a plenitude da Divindade não é só como uma figura. Jesus é o que Deus é, em caráter, natureza e essência.
3. Jesus tem poder em Suas palavras: Jesus é o meio pelo qual Deus Pai fez o mundo (Hebreus 1:2), então Jesus é o Criador de tudo. Aquele que criou o mundo é o mesmo que o sustenta “pela palavra de Seu poder” (v. 3).

II. JESUS É O CRIADOR, QUE ALÉM DE MANTENEDOR TORNOU-SE REDENTOR – Hebreus 1:3

1. Jesus sabe que todos pecaram e por isso deveriam deixar de existir: O pecado deveria remover o ser humano do mundo, mas Jesus veio para remover o pecado do mundo. Assim Ele redimiu da morte o pecador.
2. Jesus é Deus que se fez homem para resolver o problema do pecado no mundo: O ser humano transgrediu a Lei de Deus; sujando, assim, o nome diante de Deus. Jesus pagou o preço do pecado para que, aquele que O aceita, tenha o nome limpo no Céu.
3. Jesus fez por si mesmo a purificação dos nossos pecados para nos dar vida: O fato de Jesus ser divino, mas ter decidido entrar na história humana, e, sendo inocente e tendo aceitado morrer terrivelmente para salvar é que Ele pode purificar-nos dos nossos pecados.

III. JESUS ASSUMIU O CONTROLE DA CAÓTICA HISTÓRIA HUMANA – Hebreus 1:3

1. Jesus morreu, mas morto venceu a morte: A morte não teve forças suficientes para aprisionar Jesus na tumba. Ao terceiro dia Ele ressuscitou e, após quarenta dias, voltou ao Céu vitorioso para conceder vitória aos que se entregam a Ele.
2. Jesus foi exaltado no Céu por ter honrado e exaltado a Deus Pai aqui na terra: O Pai e o Filho agem em harmonia, embora sejam diferentes. Por serem da mesma essência, Pai e Filho podem estar lado a lado no Céu operando para que a história não seja um caos para sempre.
3. Jesus subiu ao Céu e assentou-se no trono para governar o Universo: Jesus está à destra do Pai a fim de governar todas as coisas pelo Seu poder. Sua entronização à direita do Pai revela a todo o Universo que Seu sacrifício é eficaz para purificar os pecados do mundo.

CONCLUSÃO:

1. Jesus é a expressão tão exata do Pai que quem vê a Jesus vê ao Pai.
2. Jesus que é a expressão exata do Pai, morreu na cruz para limpar nosso nome no Céu.
3. Jesus é o Criador, sustentador do mundo e está assentado à destra de Deus para governar todas as coisas pelo Seu poder. Desta forma:
a) Ele é o dono legítimo de todas as coisas, em Cristo você não precisa se desesperar diante de uma dificuldade.
b) Ele teve perfurada as mãos que hoje controla toda a história, por isso temos a certeza de que o futuro é certo e bom para aqueles que aceitam Seu sacrifício.
c) Ele tem a última palavra, então, nos imprevistos da vida, confie nEle.

APELO:

1. Acredite que Jesus está sempre no controle da história mundial.
2. Permita que Jesus assuma o controle da tua vida em todos os aspectos.
3. Busque certeza e segurança somente em Jesus.

Pr. Heber Toth Armí

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

EXISTE UM LUGAR PARA ABRIGAR PECADORES FUGITIVOS


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico principal: Josué 20:1-9
1. As cidades de refúgio foram inventadas por Deus em benefício das pessoas (vs. 1-2).
2. As cidades de refúgio tinham a função de abrigar réus de homicídio involuntário (v. 3).
3. As cidades de refúgio ofereciam aos fugitivos a segurança e a proteção diante do vingador (v. 5).

I. CIDADES DE REFÚGIO: LUGAR IDEALIZADO POR DEUS PARA REFUGIAR PECADORES – Josué 20:1-3
1.  Vivemos em um mundo onde todos somos pecadores e carecemos de refúgio, pois há injustiça e vingança por todos os lados.
2. Vivemos num mundo onde qualquer coisa pode acontecer:
a) Somos carentes de proteção; acidentes podem acontecer a qualquer momento e, sem querer, alguém pode ser ferido mortalmente.
b) Corremos perigo de causar sofrimento impensado na vida de uma família, pois a vida é tão sensível que, como diz o ditado: “para morrer, basta estar vivo”.
c) Estamos sob a influência do mal e diante de qualquer coisa, alguém se levanta para vingar ou como dizem alguns, “fazer justiça com as próprias mãos”.
3. Vivemos porque Deus nos dá graciosamente a vida, e, muitas vezes, cometemos erros impensados e precisamos ainda mais de Sua graça. Porém, em Deus há solução para os angustiados pecadores (Salmo 46:1).

II. CIDADES DE REFÚGIO APONTAM PARA GRAÇA E JUSTIÇA DE CRISTO – Josué 20:4-9
1. Se você é pecador, não fuja de Cristo, fuja para Cristo: Deus deseja te livrar da condenação, mas para isso não anulará Sua justiça. No entanto, Ele mesmo proveu um meio justo de salvar o pecador.
a) O pecador está exposto à morte, até que encontre esconderijo em Cristo.
b) O pecador deve saber que a graça de Cristo proporciona justiça, tornando-o justo.
c) O pecador deve permanecer na cidade refúgio até ser livre para voltar ao lar perdido pelo pecado: O Paraíso.
2. Se você é assassino, você não precisa fugir, mas precisa saber onde há refúgio: Vingança injusta encontra julgamento justo em Cristo, o sacerdote que morreu para libertar o pecador (Josué 20:6). Jesus morreu, assumindo nosso lugar, tornando-se justiça nossa. Em Cristo o pecador é justificado, transformado e restaurado.
3. Se você é pecador é preciso correr imediatamente para Jesus, o refúgio certo: As seis cidades refúgios foram estrategicamente localizadas de tal forma que o pecador poderia chegar até elas com, no máximo, meio dia de viagem. Estas cidades apontavam para a graça contínua de Deus, a qual provê um julgamento justo a todo transgressor da lei. Se você quiser absolvição, precisa correr para Cristo.

III. CIDADES REFÚGIO ILUSTRAM A IGREJA DE CRISTO NA TERRA – Josué 20:6
1. Estamos neste mundo enfrentado toda sorte de ataque onde a vingança e a injustiça predomina: O mal tomou conta do mundo. Satanás continuamente está arruinando o mundo, as pessoas e, consequente a sociedade tornou-se um caos deplorável. Deus instituiu a igreja como cidade refúgio dentro das cidades.
2. Estamos num conflito entre o bem e o mal, nesse ambiente a  igreja é o local onde se reúne o exército de Cristo: A igreja é onde feridos, exaustos e moribundos encontram alívio, descanso, refrigério e orientação para vencer. Assim eles recobraram ânimo e vigor para continuar enfrentando as batalhas da vida no mundo, o qual é o palco da guerra.
3. Estamos num contínuo campo de batalha no mundo e a igreja é um campo de refugiados: Deus é misericordioso, e graciosamente providenciou refúgio para os feridos e aflitos de espírito. Precisamos da igreja, precisamos de cura, precisamos de alívio, precisamos de libertação, ou seja, precisamos de refúgio e este é Cristo e Sua igreja. 

CONCLUSÃO:
1. As antigas cidades refúgios destinadas ao antigo povo de Deus era um símbolo do refúgio proporcionado por Cristo; e, para isso, Jesus tornou Sua igreja um instrumento de salvação do pecador.
2. As cidades refúgios revelam que Deus tomou medidas para afiançar a segurança de todo àquele que é acusado pelo diabo, o qual deseja vingar-se de Deus destruído Suas preciosas criaturas.
3. As cidades de refúgio foram substituídas pelas igrejas, onde se declara a todos que vão em busca de libertação que: Jesus, o sacerdote, já morreu. Deste modo, em Cristo estamos livres da culpa e do pecado.

APELO:
1. Vá a Cristo imediatamente, Ele é o refúgio maior!
2. Vá à igreja de Cristo, ali encontrarás segurança e alívio!
3. Vá a Cristo para que experimentes a graça e a misericórdia divina!

Pr. Heber Toth Armí

Postagens mais acessadas nesta semana