quinta-feira, 18 de julho de 2019

MELHOR FECHAR AS PORTAS DA IGREJA SE NÃO FOR PARA CULTUAR DEVIDAMENTE A DEUS


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Malaquias 1:10

1. A negligência espiritual e a hipocrisia religiosa levam Deus à apatia em relação a adoradores com tais características.
2. A superficialidade espiritual e a formalidade religiosa não são palatáveis para Deus, são intragáveis.
3. A mornidão espiritual e religiosidade leviana são inaceitáveis ao Santo e Soberano Deus do Universo.

I. DEUS PREFERE QUE AS PORTAS DO TEMPLO SEJAM TRANCADAS EM VEZ DE ABERTAS PARA TODO TIPO DE CULTO QUE NÃO LHE AGRADAM – Malaquias 1:10

Através do profeta Malaquias, Deus fala aos líderes religiosos: “Gostaria que um de vocês fechasse as portas do Templo” (NTLH). “Ah, se um de vocês fechasse as portas do templo” (NVI). “Por que alguém não fecha as portas do templo, pondo uma tranca?” (A Mensagem). Desse pedido de Deus, extraímos os seguintes pontos:

1. Deus abre o coração e expõe Sua indignação contra os religiosos que vivem a fé superficial e relaxadamente.

2. Deus compartilha Sua frustração com Seu povo que não O leva muito à sério na rotina diária da vida.

3. Deus revela o que vai no íntimo de Sua alma em relação àqueles que vivem à superficialidade do compromisso com Ele.

a) Se existe corrupção na prática da adoração é melhor ter as portas das igrejas fechadas.
b) Se existe perversão do culto a Deus é melhor trancar as portas da igreja para não ofender ainda mais ao Pai Celestial.
c) Se existe depravação religiosa e deformação espiritual por parte dos religiosos é melhor nem aparecer na igreja para oferecer um culto desprovido de sinceridade. 

II. DEUS ACHA PERCA DE TEMPO CULTUÁ-LO NO TEMPLO DE FORMA INDEVIDA, SEM FUNDAMENTAÇÃO BÍBLICA – Malaquias 1:10

O desejo de Deus de que as portas do Templo fossem trancadas tem um objetivo claro: “Assim vocês não ascenderiam mais fogo inutilmente no meu altar” (NTLH). “Assim ao menos não ascenderiam o fogo do meu altar inutilmente” (NVI). “Assim, nenhum de vocês poderá entrar e brincar de religião com esse culto sem sentido” (A Mensagem).

1. Deus não tem prazer quando banalizamos a Bíblia, pois assim fazendo reduzimos o conceito da verdadeira religiosidade que envolve uma mudança radical de vida em tempo integral, então é preferível que não haja ajuntamento para tal culto.

2. Deus não se alegra quando consideramos à frequência à igreja um mero hobby, ou quando vamos à igreja assim como vamos a parques de diversões ou a um passeio qualquer:

a) Sem vida digna de verdadeiro adorador.
b) Sem Bíblia, sem lição da Escola Sabatina.
c) Sem intenção nenhum de se encontrar com Deus.
d) Sem uma oferta digna que Ele merece.
e) Sem intenção de louvar, adorar e glorificar o nome de Deus.

3. Deus não se satisfaz quando brincamos de religião durante a semana e nos finais de semana nos dirigimos à igreja para oferecer-lhe um culto sem sentido. Por isso, é melhor trancar as portas e não deixar ninguém entrar. Tal ato nos faz lembrar a execução de Nadabe e Abiú, quando ofereceram fogo estranho no altar de Deus (Levítico 10:1-3):

a) Eles desprezaram as orientações na revelação de Deus.
b) Eles fizeram o ritual certo da forma errada e com a vida errada, embriagados.

III. DEUS REJEITA CERTOS TIPOS DE CULTOS QUE NÃO TÊM FOCO NO LUGAR CERTO – Malaquias 1:10 

Prestar um culto vazio, sem motivo, não vale nada; pelo menos para Deus. Por isso, vimos o ardente desejo do Senhor para que houvesse alguém que trancasse as portas do Templo. Seu desabafo era para que Seu altar não fosse aceso em vão. Tal revelação dos sentimentos de Deus expressa a ideia de que, ter fechadas as portas do templo “seria melhor do que os sacrifícios defeituosos que o povo apresentava” (Bíblia de Estudo Andrews).

1. Deus revela desprazer pelo adorador relaxado e desfocado: “Eu não estou satisfeito com vocês” (NTLH). “Não tenho prazer em vocês” (NVI). “Não estou satisfeito” (A Mensagem). Mais do que adoração, o que Deus realmente almeja é adoradores que saibam adorar em espírito e em verdade (João 4:24). Um adorador que adora como bem entende, não está melhor que Caim, que não recebeu aprovação por sua oferta (Gênesis 4:3, 5-7).

a) Aglomerações de pessoas para adorar sem base na Palavra de Deus não passam de reavivamentos falsificados.
b) Ajuntamento de pessoas desejando adorar a Deus mas sem fundamento em Sua Palavra não resulta em reavivamento que atraia o refrigério do verdadeiro Espírito Santo.
c) Multidões reunidas para cultuar a Deus de forma superficial despertará náuseas em Deus (Apocalipse 3:16), em vez de prazer em Seu coração.

2. Deus declara que rejeita práticas e ofertas de quem adora de forma errada: “Não vou aceitar suas ofertas” (NTLH). “Não aceitarei as suas ofertas” (NVI). “Eu não quero mais esse culto de faz de conta” (A Mensagem). Quando Deus não aceita a vida do adorador negligente, certamente as práticas ritualísticas desse adorador serão abertamente rejeitadas.

a) Desrespeitar a Deus durante a semana descaracteriza nossa adoração no final de semana.
b) Desonrar a Deus em nossa vida diária jamais será compensado com algumas práticas religiosas em alguns momentos de culto.
c) Desobedecer a Deus no viver da religião fora do templo resulta na rejeição da adoração e do adorador dentro do Templo.

CONCLUSÃO: 

1. “Malaquias fala sério quando diz que é melhor fechar as portas do que continuar oferecendo cultos sem valor. Ele está indignado com que as pessoas pensassem que estes rituais tivessem algum valor, motivando falsa confiança” (K. G. Baldwin). O culto de valor que agrada ao Senhor vai além dos meros rituais, é o elevar nossa alma para honrar ao Senhor pelo amor e cuidado que tem por nós. Se não for assim, “não adorar ao Senhor seria melhor que [oferecer] um culto desprezível” (D. L. Moody).

2. Malaquias quer uma revitalização do culto quanto apresenta Sua revelação: “Aparentemente, os sacerdotes tinham enganado a si mesmos ao pensarem que, quando se tratava de adoração ou ofertas, alguma coisa era melhor do que nada, mornidão era melhor que frieza. Ao contrário, o Senhor prefere que cesse totalmente a adoração descuidada, irreverente e hipócrita (v. 10; cf. Is 1:11-15; 29:13; e Ap 3:15-16)” (Roger Beckwith). Com isso, Ele quer que procuremos melhorar nossa adoração a fim de que Lhe ofereçamos não apenas o melhor, mas adoração genuína a Ele.

3. Malaquias é enfático em apresentar a verdade sobre a adoração hipócrita. O texto é claro que, “entre aceitar as obras de Seu povo, mesmo sem gratidão, ou não aceitar obra alguma, Deus escolhe a segunda opção” (O Novo Comentário Bíblico AT, p. 1412). “Deus prefere nenhuma adoração a uma adoração irreverente e hipócrita [...]. Algumas igrejas, porém, tornaram-se meros locais de encontro onde a adoração perdeu completamente o significado (Ap 3:15-16). Aqueles que frequentam tais igrejas devem arrepender-se e retornar a adorar a Deus em espírito e em verdade” (Yoilah Yilpet).

APELO:

1. Busque a essência do verdadeiro culto para que Deus não te rejeite como adorador hipócrita, superficial ou irreverente.
2. Fundamente tua adoração na revelação bíblica a fim de que teus momentos na igreja não sejam em vão.
3. Procure oferecer um culto de adoração que agrade ao coração de Deus.

Pr. Heber Toth Armí

Postagens mais acessadas nesta semana