quinta-feira, 28 de maio de 2020

NÃO ENTRE EM PÂNICO: PRINCÍPIO DAS DORES NÃO É O FIM DO MUNDO!


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Mateus 24:6-8 

1.   Quando uma crise toma o mundo de surpresa, muitos voltam a abrir a sua Bíblia; e, sem familiaridade com o texto sagrado, extraem qualquer tipo de teorias e interpretações, provocando ainda mais quem já está com os nervos à flor da pele.

2.  Quando uma pandemia viral assola a humanidade, causando grande terror em países e nas cidades, muitos engraçadinhos tomam a experiência como base para o texto bíblico, em vez de tomar como base o texto bíblico para interpretar a realidade. Por isso Jesus advertiu veementemente a ficar atento (Mateus 24:5):

a)   Cuidado com falsos profetas do fim dos tempos.
b)  Cuidado, os falsos proclamadores do fim dos tempos vão enganar muita gente.
c)   Cuidado, seus enganos vão de coisas simples ao ponto de alegarem: “Eu sou Cristo, o Messias”.

3.     Quando alguma coisa acontece a nível global, sensacionalistas entram em cena; visando proteger aos fieis, Jesus revelou: “Vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras, mas não tenham medo. É necessário que tais coisas aconteçam, mas ainda não é o fim. Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá fomes e terremotos em vários lugares. Tudo isso será o início das dores” (Mateus 24:6-8, NVI). 

I.        JESUS QUER NOS ALERTAR – Mateus 24:6-7

1.   Vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras: A história do mundo é marcada por guerras; a trajetória dos grandes Impérios mundiais é traçada com sangue. Com o tempo, as guerras só se intensificaram chegando à primeira (1914-1918) e à segunda guerras mundiais (1939-1945).

2.  Vocês verão nação se levantar contra nação, e reino contra reino: As histórias das nações são sangrentas. Suas conquistas são feitas de carnificina. A oposição entre uma nação e outra se intensificará quanto mais perto estivermos do fim.

3.  Vocês notarão que haverá fomes e terremotos em vários lugares: A era cristã testemunhou de grandes terremotos desde o seu alvorecer. São muitos efeitos cataclísmicos que sacudiram as estruturas da Terra deixando muita gente sem alimento; tais temas também se intensificam quanto mais aproximamos do fim.

a)   A humanidade é movida pela vaidade e orgulho; assim, paradoxalmente, a luta e a guerra são meios para a busca da paz.
b)  A humanidade é ávida por obter mais; um indivíduo quer sempre possuir mais e mais. Essa ambição explica, de certa forma, a causa de tantas guerras.
c)   A humanidade se torna cada vez mais egoísta, distanciando-se mais e mais das características divinas, se adequando ao promotor da primeira guerra no céu: Satanás (Apocalipse 12:7-9).

II.     JESUS QUER NOS ACALMAR – Mateus 24:6

1.      Não tenha medo: O medo leva ao pavor e nos faz esquecer do Senhor que prometeu Sua presença “até o fim dos tempos” (Mateus 28:20). O medo toma o lugar da fé e, o pavor obscurece o amor (Mateus 14:26-27; 8:25-26; I João 4:18).

2.     Não se desespere: É necessário que estas coisas aconteçam: Cristo permite que o caráter do mal se evidencie para que saibamos decidir pelo bem com base sólida.

a)     Não podemos esperar coisas boas de onde o mal toma conta, e este mundo esta sob o poder do maligno (I João 5:19; Efésios 6:11-12).
b)     Não podemos nos apegar às coisas deste mundo, pois ele é mau; até mesmo as pessoas em geral são más, corruptas, perversas e estúpidas (I Timóteo 3:1-5). 

III. JESUS PRETENDE NOS ORIENTAR – Mateus 24:6, 8

1.      Jesus afirmou: Ainda não é o fim: Com esta advertência Jesus quer dizer que não devemos olhar para guerras e rumores de guerras, nem para o levantar de nação contra nação, nem mesmo para a tragédia da fome e dos terremotos, como o fim do mundo. Em outras palavras, “esses acontecimentos não têm o propósito de apontar o momento específico da SEGUNDA VINDA, mas, de nos lembrar da realidade desse evento” (Comentário Bíblia Andrews).

2.     Jesus categórico: É o início das dores: A palavra grega traduzida por “dores” dá a ideia de “dores de parto”, “contrações do parto”, “trabalho de parto”, ou apenas “parto”. Textos que usam a mesma palavra grega deixam mais claro, veja I Tessalonicenses 5:3, Apocalipse 12:2. Sendo assim, “o princípio das dores” não é o fim em si, mas sinais que alertam sobre o fim. Da mesma forma que os sinais de trânsito não são a cidade, mas apenas indicações de que estamos próximos de uma determinada cidade, estes sinais indicam que estamos próximos do fim, mas eles em si mesmos não são o fim. 

CONCLUSÃO:

1.   Nunca houve tempo em que devemos estar mais atentos às palavras de Cristo como demanda os dias atuais. “Todas as palavras proféticas das Escrituras deveriam ser abordadas com profunda humildade e fervorosa oração, buscando o ensinamento do Espírito Santo. Em nenhum outro ponto têm homens de bem discordado tão inteiramente como no caso da interpretação profética. Sobre nenhuma outra questão os preceitos de uma classe, o dogmatismo de outra e as extravagâncias de uma terceira têm contribuído para furtar a igreja das verdades designadas por Deus para lhe serem uma bênção” (J. C. Ryle).

2.  Nunca houve tempo em que deveríamos esperar plena paz neste mundo dominado pelo maligno. Jesus não quer que fiquemos iludidos com este mundo/humanidade. Em tempos de sensacionalismos e teorias da conspiração, o texto em apreço nos exorta a moderar nossas expectativas com base na revelação de Cristo. Os sinais estudados têm o seu lugar, os quais não devem ser tirados de seu contexto. É muito perigoso colocar nossa confiança nas falsas declarações de pregadores desleais ao texto bíblico.

3.  Nunca se deve pensar que sinais do fim sejam o próprio fim. Eles devem ser vistos dentro do seu devido lugar e propósito. “Deus tem um propósito ao permitir que ocorram essas calamidades. Elas constituem um de seus meios para chamar homens e mulheres à razão” (Ellen G. White).

APELO: 

1.   Fique mais atento ao que Jesus diz (em vez de ficar ávido pelo que as pessoas dizem) sobre o fim do mundo, para não cair em armadilhas e garras de Satanás – o qual é o pai da mentira e da falsidade e o promotor do engano.
2.  Fique mais atento às palavras de Jesus do que aos noticiários, para que tenhas fé em vez de medo.
3.  Fique mais atento às palavras de Jesus do que aos promotores de sensacionalismos alarmantes, para que a esperança e não o desespero ocupe teu coração e mente.

Pr. Heber Toth Armí

Postagens mais acessadas nesta semana