quarta-feira, 15 de maio de 2019

UM RECADO DE CRISTO AOS FIEIS DIZIMISTAS


INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Lucas 11:42

1. As palavras de Jesus são sabedoria de peso, precisamos dar atenção às Suas instruções.
2. A instrução de Jesus possui equilíbrio perfeito, devemos aprender a equilibrar nossa religiosidade com Seus ensinamentos.
3. A revelação de Jesus quanto ao dízimo é de suma importância quando há interesse em sair da religiosidade superficial para a religião integral.

I. CONDENAÇÃO: “AI DE VÓS...” – Lucas 11:42

1. Por que Jesus condena os dizimistas, se a prática do dízimo é bíblica?
2. Por que Jesus condena aos fariseus com “Ai de vós, fariseus!”?
3. Por que Jesus trata com tom de juiz aqueles que tinham zelo até demais para com a doutrina do dízimo?

II. EXPLICAÇÃO: “PORQUE DAIS O DÍZIMO... E NEGLIGENCIAIS...” – Lucas 11:42

1. Porque dar o dízimo... mas falhar em praticar a essência da verdadeira religião é hipocrisia.
2. Porque ser minucioso em dar o dízimo até de folhas como “hortelã, arruda e todas as hortaliças”, mas “desprezar a justiça e o amor de Deus” é formalidade religiosa, não profundidade espiritual.
3. Porque intentar agradar a Deus com práticas exteriores, formalidades religiosas em relação aos dízimos, sem, porém, amar ao próximo na prática da justiça e sem amar a Deus significa iludir-se com a salvação.

III. ORIENTAÇÃO: “DEVÍEIS...” – Lucas 11:42

1. Ao Jesus dizer “devíeis”, está mostrando interesse em salvar os pecadores da condenação.
2. Ao Jesus dizer “devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas”, está orientando aos zelosos a não aceitarem religião incompleta, superficial e de aparência, mas uma religião integral.
3. Ao Jesus dizer “devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas”, fica claro que tanto o dízimo quanto a prática da justiça e o amor de Deus, devem ser devidamente praticados para não sermos condenados.

CONCLUSÃO:

1. A condenação de Jesus alerta, necessitamos saber o que o Salvador desaprova e condena.

a) Não queremos ser condenados por Jesus, como ninguém quer estar errado numa blitz policial.
b) Não queremos ser condenados por negligências espirituais, precisamos fazer o que é certo.

2. A explicação de Jesus nos desperta, precisamos acordar para o desequilíbrio em nossa espiritualidade:

a) Cuidado com a ênfase exagerada em rituais.
b) Cuidado com a negligência descarada das práticas essenciais do cristianismo.

3. A orientação de Jesus nos liberta, carecemos dela para não negligenciarmos nenhuma parte da pura e perfeita religião que Ele veio ao mundo para nos apresentar.

a) Jesus confirma o que está certo: Continue entregando o dízimo.
b) Jesus estimula o que falta: Entregue os dízimos acompanhados com práticas de justiça e do amor de Deus.

APELO:

1. Fique atento(a) ao alerta de Jesus quanto à condenação.
2. Fique atento(a) às explicações de Jesus quanto à despertar para a libertação de formalidades religiosas.
3. Fique atento(a) às orientações de Jesus quanto à prática do dízimo, da justiça e do amor de Deus.
Pr. Heber Toth Armí

Postagens mais acessadas nesta semana