sexta-feira, 16 de setembro de 2016

VAMOS JUNTOS RUMO À MAIOR DE TODAS AS CONQUISTAS


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Filipenses 3:12-16

1. As pessoas, geralmente, gostam de competir desde a infância. Ninguém gosta de perder.
2. As pessoas gostam de ganhar, até mesmo os adultos. Do contrário não existiria olimpíadas e paraolimpíadas/paralimpíadas, onde se investe muitos recursos.

O apóstolo Paulo enxergava a vida cristã como uma corrida. A pessoa salva era como aquela que tinha acesso ao lugar de corrida. Ela não corria para salvar-se; ao ser salva, recebe permissão para correr. Você está correndo? Nessa corrida tem regras, precisa-se de disciplinas, tem alvo e também tem prêmio. Não há maior conquista do que vencer essa corrida.

I. A GRANDE CONQUISTA COMEÇA COM A INSATISFAÇÃO CONSIGO MESMO – Filipenses 3:12

1. Uma consciência de que cada crente convertido precisa desenvolver sua condição espiritual é um pré-requisito para alcançar o prêmio da perfeição espiritual: “Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição”.
2. Uma consciência de já ter alcançado o limite do desenvolvimento espiritual torna o crente satisfeito consigo mesmo, torna-se acomodado, insensível a seus pecados e um raquítico na fé, um sedentário espiritual, ou seja, será um perdedor.
3. Uma consciência do quanto ainda falta para chegar ao ideal de Deus, que é ser semelhante a Cristo, criará em nós o desejo de prosseguir na corrida cristã. Após cerca de 30 anos de conversão, Paulo revela sua insatisfação com sua condição espiritual.

II. PARA ALCANÇAR A GRANDE CONQUISTA DEVE-SE AVANÇAR COM A MÁXIMA DEDICAÇÃO – Filipenses 3:12

1. Na vida cristã é preciso empenho total. Essa ênfase está presente no Antigo e no Novo Testamento (Deuteronômio 6:5; Mateus 22:37).
2. Na vida cristã a corrida exige um esforço constante. A ideia da palavra em grego “prossigo” é de esticar todos os músculos e usar todas as habilidades do corpo para “conquistar aquilo para o que também [fomos] conquistados por Cristo”.
3. Na vida cristã somos conquistados por Cristo para sermos semelhantes a Ele: Esse processo toma tempo, aliás, nunca o alcançaremos plenamente aqui neste mundo; portanto, até o último dia de vida ou até a segunda vinda de Cristo teremos de dedicar-nos ao máximo nessa corrida.

III. A GRANDE CONQUISTA DEPENDE DE SENSO DE DIREÇÃO E FOCO – Filipenses 3:13

1. O crente deve reconhecer que o alvo ainda está distante, independente do quanto tenha corrido. Não existe impecabilidade ou perfeição (teleios) no sentido pleno da palavra aqui neste mundo. Paulo reitera: “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado”.
2. O crente, após reconhecer o quanto precisa avançar, observa duas atitudes:

a) Esquece as coisas que para trás ficam, sejam elas boas ou más, positivas ou negativas.
b) Avança para as coisas que estão a sua frente, para uma meta, um alvo estabelecido por Cristo, não por si mesmo.

3. O crente que se esforça ao máximo sem desvencilhar-se do passado e focar no alvo estabelecido por Cristo será tão perdedor quando aquele que fica sentado na arquibancada assistindo os atletas correrem.

IV. A GRANDE CONQUISTA EXIGE CORRETA MOTIVAÇÃO E DETERMINAÇÃO – Filipenses 3:14

1. Quando os crentes possuem avidez para ser como Cristo eles serão motivados a avançar diária e constantemente rumo à perfeição espiritual. Veja o exemplo do apóstolo: “Prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”.
2. Quando o crente entende que a salvação já lhe pertence, ele fugirá do pecado e correrá para a santidade, sabendo que é um processo que começa na justificação, passa pela santificação e só se completará na glorificação, no futuro, no retorno de Cristo.
3. Quando o crente se converte, ele deve saber que está apto para correr; e que, se tiver a motivação correta e correr com determinação total, certamente alcançará a maior de todas as conquistas: Ser como Cristo!

V. A GRANDE CONQUISTA SERÁ REAL PARA QUEM TIVER DISCIPLINA MENTAL E FÍSICA – Filipenses 3:15-6

Certamente Paulo estava lidando com perfeccionistas, pessoas que alegavam ter alcançado o patamar máximo de santidade, que criam poder atingir a impecabilidade antes da volta de Jesus. Portanto, Paulo, que não se considerava perfeito, agora faz um apelo perfeito, sendo irônico com os perfeccionistas, mas colocando-se junto a eles.

1. Primeiramente ele chama seus ouvintes a terem o senso de que precisam alinhar seus sentimentos ao dele, o senso de que precisam correr com ele – sendo ele um apóstolo maduro, experiente, mas avançando rumo à perfeição com garra e determinação: “Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos este sentimento”.
2. Em segundo lugar, ele mostra que aquele que desconsiderar a corrida corre perigo de perder o prêmio; tanto é que se alguns discordassem dele no assunto apresentado, Deus estava disposto a esclarecer-lhes: “e, se, porventura, pensais doutro modo, também isto Deus vos esclarecerá”.
3. Finalmente, ele mostra que não importa o quanto já alcançamos, não podemos parar nem regredir, mas avançar sempre, diligentemente: “Todavia, andemos de acordo com que já alcançamos”.

CONCLUSÃO:

1. Todo verdadeiro cristão nunca se sentirá satisfeito com sua condição espiritual aqui neste mundo.
2. Todo verdadeiro cristão saberá que sua conversão o habilitou para correr em direção à santificação espiritual, a qual o limite ou alvo da corrida é o Céu, nunca antes disso.
3. Todo verdadeiro cristão que amadurece em sua experiência com Deus deve ter a mesma atitude do apóstolo veterano, e isso é tão certo que Paulo não permite opinião diferente, e ainda alega que se for preciso Deus esclarecerá esse assunto.

APELO:

1. Tenhamos o mesmo sentimento de Paulo: Precisamos correr com dedicação, senso de direção, rumo ao alvo certo.
2. Se, porventura, pensais diferente, permita que Deus te esclareça e te ajude ou ensine a correr a corrida cristã.
3. Andemos de acordo com o que já alcançamos: Todos aqueles que avançar alcançarão a maior de todas as conquistas: “O prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”.

Pr. Heber Toth Armí

Postagens mais acessadas nesta semana