sexta-feira, 24 de junho de 2022

ADORAÇÃO NUM CONTEXTO PLURALISTA

INTRODUÇÃO: Texto Bíblico principal: Deuteronômio 12:1-31

1. A adoração é natural ao ser humano, mas sem orientação sobrenatural da revelação de Deus, ela não passará de uma aberração teológica.

2. A adoração é essencial à religião bíblica, mas se não for orientada pela Bíblia jamais alcançará o real objetivo proposto por Seu idealizador.

3. A adoração para ser aceitável a Deus precisa ser orientada por Ele; do contrário, toda tentativa será de total frustração devido à rejeição pelo Ser que deve ser o alvo da adoração.

I. A VERDADEIRA ADORAÇÃO REQUER EXCLUSIVIDADE AO ÚNICO DEUS VERDADEIRO – Deuteronômio 12:1-5, 8-10, 29-32

Deus não aceita concorrência. Ele não quer nenhum outro Deus competindo com a atenção do adorador. Ele quer exclusividade. Exige fidelidade. Deuses e influências contrárias à revelação deveriam ser radicalmente exterminados; e hoje, não deve ser diferente:

1. O culto aceitável não pode ter distrações, nada deve competir com Deus no horário da adoração: Conversas, celulares, pensamentos paralelos, indiferença, preocupação com outras coisas, tudo o que distrai deve ser deixado de lado na adoração genuína.

2. O culto deve ter Deus como personagem central a receber a adoração: Não é o cantor, o dueto, o trio, o quarteto, o quinteto, o sexteto, o conjunto, o coral nem o pregador ou o ministro de louvor que deve ser o alvo da adoração; tudo deve executar-se tendo a Deus como alvo, para que a adoração seja aprovada. Não é o gosto do adorador que conta na adoração, é a vontade do Ser adorado: Deus!

3. O culto deve ser regido por Deus, não pela vontade do adorador: Sinceridade, neste caso, não significa fazer o que der vontade. Significa renunciar à própria vontade. Sem submissão a Deus, a adoração não passará de mera hipocrisia. Culto não é palhaçada, não visa agradar os adoradores. Lugar de adoração não é circo; pois, adoração não é diversão. Adorar é algo sério, radical – um ato exclusivo, requerido pelo único Deus verdadeiro.

II. A ADORAÇÃO ACEITÁVEL DEVE PASSAR PELA GENEROSIDADE DO ADORADOR – Deuteronômio 12:6, 11, 13-14, 26-28

Ser adorador não é suficiente para o Senhor. Ele quer adoradores íntegros, sinceros e generosos. Egoístas, interesseiros, gananciosos e mesquinhos diante da obra de Deus não são dignos de serem aceitos pelo Deus que age generosamente em prol de Seus filhos.

1. A adoração genuína resulta da conversão integral: Quem adorar sem se render plenamente a Deus fará a coisa certa do jeito errado. A adoração só será correta se houver obediência e entrega por inteiro a Deus, inclusive do bolso, da bolsa, da carteira, do cartão de crédito e da conta bancária. Tudo! Adorar e confiar mais no dinheiro do que em Deus significa não ser um adorador verdadeiro.

2. A adoração genuína passa pela generosidade ao ter a Deus como prioridade: O serviço de culto, a orientação espiritual, o preparo para receber os adoradores, e o ambiente de adoração, precisam existir. No passado, Deus tinha os levitas e o Santuário; hoje há o templo, e os pastores são responsáveis pela obra de Deus: Ambos devem ser mantidos com dízimos (os líderes espirituais) e ofertas (as casa de culto). Nossa participação financeira revela o quanto Deus e Sua obra nos são prioridades.

3. A adoração pura e verdadeira valoriza a Deus ofertando-Lhe o melhor: O melhor não é o que eu acho que é bom, mas o que Deus pede. Qualquer coisa fora disso compromete a adoração. Seguir a própria opinião na adoração implica rejeitar a revelação de Deus, O qual consequentemente rejeitará a falsa adoração.

III. A ADORAÇÃO AO DEUS VERDADEIRO ENVOLVE RELACIONAMENTOS FELIZES – Deuteronômio 12:7, 12, 15-25

Há tantas coisas e tantos deuses exigindo atenção que deveria ser unicamente concedida a Deus, por isso o povo vive tão aflito, angustiado e estressado. Porém, Deus não quer Seu povo triste, mal humorado e tenso, mas alegre, feliz, contente e realizado. Ele trabalha para que a adoração seja um momento de celebração congregacional.

1. A adoração primeiramente deve acontecer na família, no lar: Deus é o Criador dos relacionamentos; Ele deseja que os membros da família se reúnam para estarem em Sua presença e desfrutarem de alegria pura.

2. A adoração coletiva é a reunião de várias famílias do povo de Deus: Deus preza por reuniões alegres em que adoradores se ajuntam para fortalecerem a adoração ao Deus que servem diariamente. Tais reuniões não devem ter notas fúnebres, pois são festivas. Os encontros dos adoradores devem ser diferentes dos funerais, pois são celebrações reconhecendo as maravilhosas obras de Deus por Seu povo.

3. A adoração real e verdadeira é aquela que ganha vida na comunidade: Em João 17 Jesus ora pela unidade de Sua igreja. Tal unidade é importante. Para isso, não deve haver status, classe social, raça ou nacionalidade superiores, todos igualmente devem alegrar-se juntos pelos mesmos motivos: a própria presença de Deus em meio aos indignos pecadores.

CONCLUSÃO:

1. Se na eternidade adoraremos a Deus em Sua presença literal, devemos aprender a adorá-Lo em Sua presença espiritual. Israel recebeu orientações antes de entrar na Terra Prometida para fazer a coisa certa quando estivesse desfrutando das bênçãos de Deus; nós que aguardamos a Pátria Prometida no ambiente celestial, devemos desfrutar da adoração aqui na Terra para continuá-la com os santos anjos no Céu.

2. Se na eternidade uma das atividades será adorar a Deus com intensidade, precisamos nos acostumar a adorá-L neste mundo. Como passar a eternidade adorando sem nos preparar para isso? As orientações bíblicas providas por inspiração divina devem ser aplicadas para aprendermos sobre o Deus que receberá nossa adoração por toda eternidade. Israel precisava de orientações, nós também.

3. Se na eternidade os salvos se deleitarão na adoração empolgante, então é preciso aprender a adorar corretamente aqui seguindo as orientações do Deus a Ser adorado. Adoração pautada na opinião do adorador será rejeitada pelo Deus que é alvo da adoração. Desprezar Seus requisitos implica adorar de qualquer jeito; porém, Deus não é qualquer Ser, nem aceita qualquer coisa oferecida sem consideração para com Suas orientações. Moisés prezava pelo cuidado na adoração, nós também precisamos prezar.

APELO:

1. Adore corretamente ao único Deus verdadeiro que expõe os princípios da verdadeira adoração.

2. Adore sinceramente com generosidade diante do Deus verdadeiro mesmo estando em uma sociedade pluralista que exige a atenção que Deus requer para Si.

3. Adore alegremente almejando adorar por toda eternidade, promovendo a unidade na comunidade.

Pr. Heber Toth Armí.

Postagens mais acessadas nesta semana