domingo, 26 de agosto de 2018

A FÓRMULA PARA POSSUIR UM CARÁTER TRANSFORMADO


INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Mateus 7:7-11 

1. Para alcançar a altura do ideal de Deus é essencial que recorramos à oração. A vida cristã não é natural, portanto, precisa de auxílio sobrenatural para tornar-se um estilo de vida ricamente espiritual.
2. Para viver à altura do ideal de Deus numa sociedade pautada pelo egoísmo, orgulho e vingança, revelando altruísmo, humildade e compaixão é preciso de oração consistente, diligente e persistente.
3. Para que nós, que somos maus, possamos viver bem diante de Deus e dos homens, devemos aplicar ao coração os princípios dos versículos deste sermão incessantemente e experimentar o poder gracioso disponível de Deus aos que O buscam sincera e perseverantemente.

I. A ATITUDE DIANTE DE DEUS DAQUELES QUE QUEREM MUDANÇA DE CARÁTER – Mateus 7:7

1. Antes de receber, é preciso pedir; o que indica humildade para perceber a necessidade, fé para se dirigir a Deus e disposição para esperar a resposta.

a) Pedir significa sentir falta de algo que só Deus possui.
b) Buscar significa procurar algo que não se tem, está distante, ou perdido.
c) Bater significa que o que se procura está inacessível, há uma porta trancada.

2. Antes de encontrar, primeiro você deve buscar; o que implica que é preciso ir da oração para a ação, do pedido para a atitude.

a) Pedir equivale a pouca dedicação: Primeiro estágio da oração. Oração simples.
b) Buscar revela dedicação esforçada: Segundo estágio da oração. Oração persistente.
c) Bater indica dedicação focada e intensificada. Último estágio da oração. Oração intensa. 

i. Quem pede e recebe, irá agir com fé nas promessas de Cristo porque sabe que Deus responde.
ii. Quem encontra o que busca, irá buscar mais intensamente a ponto de bater, pois até aqui a experiência foi positiva.
iii. Quem experimenta Deus sempre vai querer aprofundar-se mais nessa experiência a tal ponto de refletir Seu caráter.

3. Antes de ter a oportunidade, é necessário bater para que a porta se abra; o que significa não desistir até encontrar a porta e bater até que a porta se abra.

a) Em cada imperativo cumprido, a promessa é garantida.
b) Em cada ação humana percebe-se a reação divina.
c) Em cada requisito observado, a resposta de Deus torna-se evidente.

II. A RESPOSTA DE DEUS PARA OS QUE SE APROXIMAM DELE PARA ALTERAR O CARÁTER – Mateus 7:8

1. Todo aquele que pede, recebe; só quem não pede, não recebe.
2. Todo aquele que busca, encontra; só quem não procura, não encontra nada.
3. Todo aquele que bate, verá abrir-se diante de si uma porta; só quem não bate não verá oportunidade alguma.

a) Começa pelo pedir, avança pelo buscar e, culmina no bater; ninguém que segue esta sequência se decepcionará com Deus.
b) Começar corretamente, avançar corretamente e terminar corretamente é a trajetória integral daqueles que experimentam vitória total através da graça divina.
 
i. Bater indica que o pedir e o buscar continuam num nível mais profundo.

ii. Bater implica em não ter desistido pelo caminho da busca.

iii. Bater revela amadurecimento daquilo que tanto espera especificamente de Deus.

c) Começar bem, avançar bem e terminar bem em relação à oração e ação é a melhor e única forma de obter bênçãos mesmo possuindo natureza má. 

III. O EXEMPLO DE DEUS AOS QUE O BUSCAM PARA REFLETIR SEU NOBRE CARÁTER – Mateus 7:9-12

1. Assim como um pai sendo mau não pretende fazer maldade a seus filhos, Deus que é bom fará o melhor para aqueles que recorrem a Ele. 

a) A resposta do pedido é receber: Receber o quê? Um caráter melhor!
b) A resposta da busca é encontrar: Encontrar o quê? Um estilo de vida melhor!
c) A resposta de bater à porta é tê-la aberta: Aberta para onde? Para os recursos do Céu para poder refletir o caráter de deus neste mundo tomado pelo egoísmo, orgulho e corrupção moral, social e espiritual.

i. Jesus é a porta que dá acesso a deus que ficou interditado a nós por causa do pecado.
ii. Jesus é a porta aberta onde nós podemos entrar para receber as nobres virtudes do caráter generoso e gracioso de Deus.
iii. Jesus é a porta que se abre para nos abençoar com maiores riquezas do que almejamos.

2. Assim como um pai mau não engana ou trapaceia seus filhos, muito menos Deus que é bom. 

a) Se um pai, sendo mau, não fica aquém dos pedidos simples de seus filhos; Deus, que é bom, vai além dos pedidos simples de seus filhos.
b) Se um pai terrestre não quer prejudicar a seus filhos com o que dá a eles, deus oferece qualquer coisa que visa aprimorar, aperfeiçoar e transformar Seus filhos.
c) Se um pai pecador deseja só fazer o que acha ser bom para seus filhos, deus que é santo, perfeito, generoso e gracioso fará melhor para Seus filhos.

3. Assim como pais imperfeitos desejam fazer seu melhor para seus filhos, Deus, em Sua infinita compaixão paterna, fará o melhor aos que Lhe pedirem.

a) Como Deus nos dá coisas boas mesmo que sejamos pessoas más, devemos aprender com Ele e buscar nEle um poder para fazer o bem àqueles que nos fazem o mal.
b) Como o caráter de Deus é amoroso e Se revela mesmo diante dos maus, também devemos refletir Seu caráter mesmo quando tudo conspira para fazermos o contrário.
c) Como a bondade de Deus se manifesta apesar do caráter perverso dos maus, assim os cristãos devem sempre demonstrar bondade até para aqueles que fazem maldade.

CONCLUSÃO:

1. O Deus que quer nos dar boas coisas deseja que obtenhamos com Ele um bom caráter a fim de darmos boas coisas àqueles que não merecem, por isso Ele nos deixou a oração como meio para alcançar esse objetivo.

a) Receber um caráter nobre é melhor do que deixar de ser pobre.
b) Receber uma mudança de caráter é melhor do que as coisas boas que um pai pode dar a seus filhos.
c) Receber dos recursos de deus para representar Seu caráter neste mundo é a melhor dádiva em relação a todos os bens materiais existentes no mundo.

2. O Deus que nos dá coisas boas com base em Sua graça sem que as mereçamos por sermos pessoas más, deseja que sejamos generosos até mesmo com aqueles que querem a nossa desgraça.

a) Você já imaginou o que poderíamos nos tornar se orássemos mais perseverantemente?
b) Você já pensou até onde ou quantas promessas poderíamos alcançar se orássemos mais insistentemente?
c) Você já refletiu em tudo o que Deus poderia fazer através de nós caso orássemos mais intensamente?

3. O Deus que almeja o melhor para nós, revela que, buscando Sua ajuda, podemos viver a regra Área da Lei e os profetas: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles”.

APELO: Caso desejas um caráter semelhante ao de Cristo, é preciso...

1. Sempre pedir esse caráter a Deus.
2. Sempre buscar Sua nobre vontade.
3. Sempre bater à porta que conduz ao destino certo.

Pr. Heber Toth Armí

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

ESTRANGEIROS PEREGRINANDO RUMO À CIDADE CELESTIAL


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Hebreus 11:9-10

1. A confiança do cristão precisa estar absolutamente alicerçada em Cristo, senão qualquer outro alicerce trará absoluta frustração.
2. A fé do cristão deve ser construída exclusivamente através de Cristo, O qual é o motivo de nossa fé. Sem Ele estaríamos desnorteados.
3. A esperança do cristão é sair deste mundo para morar com o Salvador em uma cidade sensacional. Com isso,

a) Devemos afastar-nos da tentação que assalta intentando fazer-nos rejeitar as coisas que não vemos do futuro em troca das coisas visíveis do presente.
b) Devemos fundamentar nossa confiança em Cristo que não falha e desenvolver nossa fé nEle, para vivermos bem o presente e avivados na esperança de logo morarmos na cidade preparada para os salvos.
c) Devemos viver como andarilhos neste mundo, numa jornada como os peregrinos, rumo à Cidade estabelecida numa Pátria Superior, Melhor.

I. A CIDADE É ETERNA – Hebreus 11:9-10

As cidades deste mundo têm começo e fim, mas a cidade projetada pelo Deus eterno tem começo, mas nunca terá fim (ver Hebreus 11:16; 13:14). A cidade que ainda não pode ser vista por mortais é aquela que:

1. Abraão e todos os patriarcas esperaram, mesmo após terem chegado à Canaã.
2. Os cristãos de todas as épocas e nós hoje esperamos.

a) A fé do cristão tem o mesmo alvo que a fé de Abraão e dos patriarcas: Chegar à cidade preparada na Pátria Celestial.
b) A fé do cristão tem o mesmo propósito que a fé de Abraão e dos patriarcas: Aguardar e se preparar para habitar na Cidade prometida por Deus.

II. A CIDADE É MAGNÍFICA – Hebreus 11:10

A Cidade edificada na “pátria superior” (ou “melhor”, verso 16) tem fundamento sólido. As tendas utilizadas na peregrinação eram passageiras em contraste com a cidade celestial com fundamento (Hebreus 11:13-14). Por isso,

1. Os crentes estão neste mundo apenas de passagem, aguardando chegar ao objetivo nobre e elevado traçado por Cristo.
2. Os crentes reconhecem pela fé a transitoriedade das coisas deste mundo efêmero, por isso vivem no presente com foco no futuro.

a) Vivem como peregrinos e estrangeiros, alheios aos propósitos financeiros, filosóficos, sociológicos e políticos da sociedade que está dominada pela perversidade.
b) Vivem pela fé na promessa de Deus, que é superlativamente melhor do que os reinos que o mundo pode oferecer.

III. A CIDADE É PLANEJADA – Hebreus 11:10

Diferente de muitas cidades que cresceram sem ser planejada, a Cidade na Pátria Celestial edificada para os fieis foi bem mais planejada que qualquer das mais belas cidades deste Planeta. Por mais sábios, criativos e intelectuais, os homens são limitados e falhos; sendo Deus o Arquiteto da cidade, ela é impecável, perfeita e organizada como ninguém viu neste mundo. 

1. Deus sempre foi Arquiteto perfeito: Ele arquitetou o mundo e então o criou, eis que tudo era perfeito. Após o pecado ter invadido e arruinado a vida das criaturas de Deus, Ele arquitetou um plano perfeito de salvação.
2. Deus é o Arquiteto da Cidade perfeita na Pátria Superior: Por isso, esta “é a cidade-modelo, sem bairros pobres, sem ar e água poluídos ou outro problema qualquer que infesta nossos centros metropolitanos” (William MacDonald. Comentário Bíblico Popular, p. 861).

a) O ser humano precisa confiar no Arquiteto Celestial que planejou não apenas uma cidade perfeita, mas uma existência perfeita e eterna aos que O buscam pela fé.
b) O ser humano deve aceitar o plano da salvação no presente para, no futuro, desfrutar dos maravilhosos propósitos divinos.

IV. A CIDADE FOI CONSTRUÍDA – Hebreus 11:10

Além de Arquiteto, Deus mesmo fez a função de Engenheiro Civil e Construtor utilizando materiais da mais alta qualidade do Universo. Ele não deixou a execução de Seu plano de construção civil na mão de engenheiros e construtores humanos. Para que fosse magnífica, Deus mesmo edificou Sua cidade.

1. Esse lugar que não é ilusório, utópico ou inacessível; porque, em Cristo, esse lugar tornou-se acessível; e, pelas mãos de Deus, saiu do planejamento para tornar-se real.
2. Esse lugar está invisível aos mortais, mas logo estará disponível, ele já foi construído. Ele existe, já foi edificado, está terminado. Está na Pátria Celestial, onde Deus habita; os salvos estão aguardando morar com Ele.

a) Judeus e gentios crentes devem ter o mesmo propósito, anelar pelas mesmas promessas e, esperar residir no mesmo lugar.
b) Judeus e gentios que se convertem a Cristo estão longe de sua terra e de sua Pátria, portanto, devem viver como estrangeiros e peregrinos neste mundo, aguardando o cumprimento das promessas do Arquiteto e Construtor da Cidade Celestial.

CONCLUSÃO: 

1. Cristãos judeus e gentios devem fixar seus olhos no futuro prometido por Cristo, pois só nas promessas divinas estaremos seguros. “Suas esperanças e aspirações não [devem estar] associadas a qualquer cidade terrena ou sistema religioso” (Comentário Bíblico Adventista, v. 7, p. 536).
2. Cristãos judeus e gentios devem se unir na esperança de morar numa cidade não esperada apenas pelos crentes do Novo Testamento, mas também por Abraão, o pai da fé, e os patriarcas no Antigo Testamento.
3. Cristãos judeus e gentios que aguardam pela fé o cumprimento da profecia proferida pelo Arquiteto e Construtor da Cidade na Pátria Superior viverão no mesmo lugar e adorarão o mesmo Deus, celebrando o mesmo Salvador, Jesus, o Autor e Consumador de nossa fé (Hebreus 12:1-3).

APELO: Sendo assim...

1. Não aceite que as coisas supérfluas das cidades transitórias deste mundo te desviem os olhos da magnífica cidade que durará eternamente.
2. Não deixe que o brilho insignificante das cidades terrestres ofusque o brilho da promessa de uma cidade especial construída, não por homens, mas por Deus; O qual está nos acenando “com algo infinitamente melhor” (Siegfried J. Schwantes. Hebreus: Cristo Nosso Sumo Sacerdote, p. 97).
3. Não se deixe iludir pelos prazeres das cidades encharcadas de pecado, imoralidade e corrupção, para que tua peregrinação alcance o destino traçado por Deus: A Cidade que Ele mesmo construiu para os salvos.

Pr. Heber Toth Armí

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

ORIGEM DA NECESSIDADE DE REAVIVAMENTO ESPIRITUAL


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Gênesis 4:25-26

1. Quem foi Enos? Filho de Sete (Gênesis 4:26; 5:6). Pai de Cainã ou Kenan (Gênesis 5:6-11; I Crônicas 1:1; Lucas 3:37-38). Além disso, pouco se sabe sobre ele; contudo, ainda temos algumas informações:

a) Seu pai o teve com a idade de 105 anos.
b) Seu filho Cainã/Kenan nasceu quando ele tinha 90 anos.
c) Ele viveu até os 905 anos.
d) Seu nome, do hebraico Enosh, significa homem, ou frágil.
e) Fez parte da terceira geração do mundo, neto de Adão e Eva.
f) Foi o primeiro a organizar um culto público a Deus.
g) No texto bíblico, seu pai e ele foram citados depois do relato do desenvolvimento perverso da família de Caim.
h) Seu pai nasceu para substituir a Abel e ele veio para contrastar com a descendência de Caim.

2. Em que contexto viveu Enos? Ele nasceu num contexto de indiferença e apatia religiosa e crescimento incessante do materialismo, hedonismo e imoralidade, ou seja, diante de uma grande necessidade de reavivamento espiritual.

3. Como Enos contribuiu para o primeiro reavivamento da história? O nascimento de Enos está relacionado ao despertar de uma reverência ou de um temor por Deus. Ao ver a necessidade e aproveitar a oportunidade, sua vida e sua influência despertaram outras pessoas à prática da piedade.

I. O REAVIVAMENTO ESPIRITUAL FOI FUNDAMENTAL DESDE O INÍCIO DA HISTÓRIA MUNDIAL – Gênesis 4:25-26

O pecado fez estrago na fé do ser humano desde que entrou no mundo. O relato de Caim e seus descendentes escancaram essa triste realidade. Um reavivamento da verdadeira piedade se fez necessário nos primeiros anos da história após o pecado.

1. Quando a apostasia ameaça eliminar o remanescente fiel, faz-se necessário alguém levantar-se para erguer a bandeira da verdade. Caim matou o justo Abel e sua descendência crescia rapidamente, perpetuando uma espiritualidade deprimente, decadente e indiferente à verdade (ver Gênesis 4:8-24).

2. Quando a adoração verdadeira parece desaparecer, é preciso acender a chama do fervor verdadeiro conclamando pessoas a buscar reavivamento. Após a morte de Abel, quase não se via falar de um povo fiel, se é que se ouvia alguma coisa. Sete e Enos, pai e filho, foram proativos espiritualmente, “daí se começou a invocar o nome do SENHOR”.

3. Quando o futuro parece desesperador, a necessidade de pessoas convocar outras para invocarem o nome do Senhor se torna urgente: Sete e Enos, juntos começam o primeiro reavivamento da história, pois perceberam uma urgente necessidade.

II. O REAVIVAMENTO ESPIRITUAL COMEÇA COM UM, DOIS OU POUCOS INDIVÍDUOS BUSCANDO A DEUS DE CORAÇÃO – Gênesis 4:25-26

Provavelmente Adão e Eva estavam decepcionados consigo mesmos. Presos em sua tristeza, estavam desmotivados diante de tantas coisas negativas que eles viam por causa da decisão errada que tomaram. Então, o máximo que eles conseguiram fazer foi um filho para ocupar o lugar de Abel, e este influenciou o neto dos primeiros pais nos caminhos do Senhor.

1. Alguém que espera grandes movimentos para começar a reavivar-se, provavelmente nunca se reavivará. Pai e filho, talvez junto à mãe, buscando reavivamento familiar, iniciaram o primeiro culto público. Jesus prometeu que onde estiver dois ou três reunidos em Seu nome, estaria no meio deles (ver Mateus 18:20).

2. Alguém tem que ter iniciativa frente à indignação e frustração com a religião. O filho e o neto de Adão nos deixaram essa preciosa lição. A proatividade espiritual deve combater a mornidão espiritual, e isso pode acontecer pela ação de um ou dois indivíduos.

3. Alguém deve encorajar-se a enfrentar a apatia espiritual da maioria, do contrario, a mornidão regerá e danificará a essência da verdadeira religião. Os descendentes de Caim não se tornaram ateus, se tornaram politeístas, eles deturparam a religião. Sete e Enos reagiram a isso e suas ações influenciaram as pessoas a começarem a invocar o nome do Senhor.

a) Quem vai reagir diante da falsa piedade ou falta de religiosidade nos últimos dias conforme previu II Timóteo 4:1-5?
b) Quem vai ter coragem de se erguer contra a mornidão que caracteriza a igreja do tempo do fim, conforme revelado em Apocalipse 3:14-22?
c) Quem vai levantar a bandeira da verdade quanto o homem da apostasia promover um movimento mundial, conforme predito em II Tessalonicenses 2:1-12?

III. O REAVIVAMENTO DEVE COMEÇAR NO SEIO DA FAMÍLIA, PARA DEPOIS ALCANÇAR OUTRAS PESSOAS – Gênesis 4:26 

A religiosidade que não está presente na família é uma hipocrisia em público. O reavivamento que não atinge a família não passa de ilusão espiritual promovido pelo grande rival da religião verdadeira.

1. O melhor lugar para começar o reavivamento não é a igreja, ou a praça ou um estádio lotado. Não existia igreja, nem estádios naquela época. A história mundial estava em seu início; Enos era a terceira geração do mundo.

2. O melhor lugar para começar um reavivamento é no aconchego do lar. O reavivamento que impacta a sociedade começa na família. Na família de Sete e Enos nasceu a influência de um reavivamento que levou outras pessoas a começarem a invocar o nome do Senhor.

3. O melhor lugar para reavivar a religião pública é na religião familiar. Se o reavivamento não acontece na família, ele de fato não aconteceu. Sete e Enos só conseguirm influenciar a sociedade imoral, perversa e apostada em que se encontravam porque reavivaram a religião em sua família. Pergunto?

a) Após tantos anos de pecado, nossa sociedade está pior ou melhor o que a sociedade da época de Enos?
b) Após refletir e meditar no texto deste sermão, estamos precisando ou não de alguém para começar um reavivamento como nos dias de Enos?
c) Após analisar a religião atual, a que conclusão vamos chegar e que reação vamos ter diante de tamanha mornidão dos últimos dias? 

CONCLUSÃO:

1. Para que haja reavivamento em nossa cultura hedonista, imoral, perversa, relativista e ateísta, os adoradores do verdadeiro Deus precisam começar a se levantar para fazer mais pela religião do que já fizeram até aqui. Vivemos uma apostasia pior que a apostasia dos dias de Caim; naquela época as pessoas continuavam adorando deuses, hoje aumenta o número dos sem igrejas, dos que desprezam a religião e dos que apregoam que Deus não existe.

2. Para que haja reavivamento em nossa sociedade materialista, indiferente e incrédula o remanescente fiel deve começar a buscar ao verdadeiro Deus com intensidade maior do que a buscada por Sete e Enos; a fim de obter poder do Espírito Santo para incendiar o coração frio das pessoas com o fogo do puro evangelho.

3. Para que haja reavimento que impacte a sociedade, cada membro da família precisa conscientizar-se da necessidade de reavivar o culto familiar. Quando as famílias estão se despedaçando, e esta sagrada instituição parecer que está quase em extinção, então, devemos reunir nossa família para que, unidos, busquemos a Deus.

APELO: 

1. Tome iniciativa, comece urgentemente você mesmo um reavivamento em sua vida pessoal, particular.
2. Seja proativo, inicie com o pai ou com o filho ou, um amigo, um movimento espiritual que visa a adoração ao Deus verdadeiro.
3. Tome atitude, antes de intentar um reavivamento público, comece um reavivamento em teu lar no culto familiar.
Pr. Heber Toth Armí

Postagens mais acessadas nesta semana