sexta-feira, 10 de agosto de 2018

ORIGEM DA NECESSIDADE DE REAVIVAMENTO ESPIRITUAL


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Gênesis 4:25-26

1. Quem foi Enos? Filho de Sete (Gênesis 4:26; 5:6). Pai de Cainã ou Kenan (Gênesis 5:6-11; I Crônicas 1:1; Lucas 3:37-38). Além disso, pouco se sabe sobre ele; contudo, ainda temos algumas informações:

a) Seu pai o teve com a idade de 105 anos.
b) Seu filho Cainã/Kenan nasceu quando ele tinha 90 anos.
c) Ele viveu até os 905 anos.
d) Seu nome, do hebraico Enosh, significa homem, ou frágil.
e) Fez parte da terceira geração do mundo, neto de Adão e Eva.
f) Foi o primeiro a organizar um culto público a Deus.
g) No texto bíblico, seu pai e ele foram citados depois do relato do desenvolvimento perverso da família de Caim.
h) Seu pai nasceu para substituir a Abel e ele veio para contrastar com a descendência de Caim.

2. Em que contexto viveu Enos? Ele nasceu num contexto de indiferença e apatia religiosa e crescimento incessante do materialismo, hedonismo e imoralidade, ou seja, diante de uma grande necessidade de reavivamento espiritual.

3. Como Enos contribuiu para o primeiro reavivamento da história? O nascimento de Enos está relacionado ao despertar de uma reverência ou de um temor por Deus. Ao ver a necessidade e aproveitar a oportunidade, sua vida e sua influência despertaram outras pessoas à prática da piedade.

I. O REAVIVAMENTO ESPIRITUAL FOI FUNDAMENTAL DESDE O INÍCIO DA HISTÓRIA MUNDIAL – Gênesis 4:25-26

O pecado fez estrago na fé do ser humano desde que entrou no mundo. O relato de Caim e seus descendentes escancaram essa triste realidade. Um reavivamento da verdadeira piedade se fez necessário nos primeiros anos da história após o pecado.

1. Quando a apostasia ameaça eliminar o remanescente fiel, faz-se necessário alguém levantar-se para erguer a bandeira da verdade. Caim matou o justo Abel e sua descendência crescia rapidamente, perpetuando uma espiritualidade deprimente, decadente e indiferente à verdade (ver Gênesis 4:8-24).

2. Quando a adoração verdadeira parece desaparecer, é preciso acender a chama do fervor verdadeiro conclamando pessoas a buscar reavivamento. Após a morte de Abel, quase não se via falar de um povo fiel, se é que se ouvia alguma coisa. Sete e Enos, pai e filho, foram proativos espiritualmente, “daí se começou a invocar o nome do SENHOR”.

3. Quando o futuro parece desesperador, a necessidade de pessoas convocar outras para invocarem o nome do Senhor se torna urgente: Sete e Enos, juntos começam o primeiro reavivamento da história, pois perceberam uma urgente necessidade.

II. O REAVIVAMENTO ESPIRITUAL COMEÇA COM UM, DOIS OU POUCOS INDIVÍDUOS BUSCANDO A DEUS DE CORAÇÃO – Gênesis 4:25-26

Provavelmente Adão e Eva estavam decepcionados consigo mesmos. Presos em sua tristeza, estavam desmotivados diante de tantas coisas negativas que eles viam por causa da decisão errada que tomaram. Então, o máximo que eles conseguiram fazer foi um filho para ocupar o lugar de Abel, e este influenciou o neto dos primeiros pais nos caminhos do Senhor.

1. Alguém que espera grandes movimentos para começar a reavivar-se, provavelmente nunca se reavivará. Pai e filho, talvez junto à mãe, buscando reavivamento familiar, iniciaram o primeiro culto público. Jesus prometeu que onde estiver dois ou três reunidos em Seu nome, estaria no meio deles (ver Mateus 18:20).

2. Alguém tem que ter iniciativa frente à indignação e frustração com a religião. O filho e o neto de Adão nos deixaram essa preciosa lição. A proatividade espiritual deve combater a mornidão espiritual, e isso pode acontecer pela ação de um ou dois indivíduos.

3. Alguém deve encorajar-se a enfrentar a apatia espiritual da maioria, do contrario, a mornidão regerá e danificará a essência da verdadeira religião. Os descendentes de Caim não se tornaram ateus, se tornaram politeístas, eles deturparam a religião. Sete e Enos reagiram a isso e suas ações influenciaram as pessoas a começarem a invocar o nome do Senhor.

a) Quem vai reagir diante da falsa piedade ou falta de religiosidade nos últimos dias conforme previu II Timóteo 4:1-5?
b) Quem vai ter coragem de se erguer contra a mornidão que caracteriza a igreja do tempo do fim, conforme revelado em Apocalipse 3:14-22?
c) Quem vai levantar a bandeira da verdade quanto o homem da apostasia promover um movimento mundial, conforme predito em II Tessalonicenses 2:1-12?

III. O REAVIVAMENTO DEVE COMEÇAR NO SEIO DA FAMÍLIA, PARA DEPOIS ALCANÇAR OUTRAS PESSOAS – Gênesis 4:26 

A religiosidade que não está presente na família é uma hipocrisia em público. O reavivamento que não atinge a família não passa de ilusão espiritual promovido pelo grande rival da religião verdadeira.

1. O melhor lugar para começar o reavivamento não é a igreja, ou a praça ou um estádio lotado. Não existia igreja, nem estádios naquela época. A história mundial estava em seu início; Enos era a terceira geração do mundo.

2. O melhor lugar para começar um reavivamento é no aconchego do lar. O reavivamento que impacta a sociedade começa na família. Na família de Sete e Enos nasceu a influência de um reavivamento que levou outras pessoas a começarem a invocar o nome do Senhor.

3. O melhor lugar para reavivar a religião pública é na religião familiar. Se o reavivamento não acontece na família, ele de fato não aconteceu. Sete e Enos só conseguirm influenciar a sociedade imoral, perversa e apostada em que se encontravam porque reavivaram a religião em sua família. Pergunto?

a) Após tantos anos de pecado, nossa sociedade está pior ou melhor o que a sociedade da época de Enos?
b) Após refletir e meditar no texto deste sermão, estamos precisando ou não de alguém para começar um reavivamento como nos dias de Enos?
c) Após analisar a religião atual, a que conclusão vamos chegar e que reação vamos ter diante de tamanha mornidão dos últimos dias? 

CONCLUSÃO:

1. Para que haja reavivamento em nossa cultura hedonista, imoral, perversa, relativista e ateísta, os adoradores do verdadeiro Deus precisam começar a se levantar para fazer mais pela religião do que já fizeram até aqui. Vivemos uma apostasia pior que a apostasia dos dias de Caim; naquela época as pessoas continuavam adorando deuses, hoje aumenta o número dos sem igrejas, dos que desprezam a religião e dos que apregoam que Deus não existe.

2. Para que haja reavivamento em nossa sociedade materialista, indiferente e incrédula o remanescente fiel deve começar a buscar ao verdadeiro Deus com intensidade maior do que a buscada por Sete e Enos; a fim de obter poder do Espírito Santo para incendiar o coração frio das pessoas com o fogo do puro evangelho.

3. Para que haja reavimento que impacte a sociedade, cada membro da família precisa conscientizar-se da necessidade de reavivar o culto familiar. Quando as famílias estão se despedaçando, e esta sagrada instituição parecer que está quase em extinção, então, devemos reunir nossa família para que, unidos, busquemos a Deus.

APELO: 

1. Tome iniciativa, comece urgentemente você mesmo um reavivamento em sua vida pessoal, particular.
2. Seja proativo, inicie com o pai ou com o filho ou, um amigo, um movimento espiritual que visa a adoração ao Deus verdadeiro.
3. Tome atitude, antes de intentar um reavivamento público, comece um reavivamento em teu lar no culto familiar.
Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana