terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

O JEJUM E A PALAVRA: O BINÔMIO DA VITÓRIA!


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Mateus 4:1-4

1. Há muitos indivíduos “bons de garfo”, mas muito ruins de Bíblia.
2. Há muitas pessoas dedicadas ao cuidado do corpo, da estética e da saúde, que pouco se importam com o lado espiritual da vida.
3. Há muita gente que gasta muito em comida, mas racionalizam quanto ao investir no estudo da Bíblia. Consequentemente, experimentamos na atualidade um terrível analfabetismo bíblico; as pesquisas nos auxiliam a ver isso:

a) Pesquisas revelam que muita gente não é capaz de mencionar pelo menos três livros escritos pelo apóstolo Paulo, nem indicar três profetas do Antigo Testamento.
b) A maioria concorda que os dez mandamentos são relevantes para hoje, mas nem metade consegue citar 5 dos mandamentos bíblicos.
c) 22% dos entrevistados nos EUA pensam que tem um livro de Tomé na Bíblia, e 13% não souberam responder.
d) Muitos creem que o ditado popular “Deus ajuda a quem cedo madruga” é bíblico. Outros tantos acreditam que Joana D’Arc era esposa de Noé. Que Sodoma e Gomorra eram marido e mulher ou amantes. E, que o Gólgota era o nome do gigante que matou o apóstolo Davi.

Voltemos ao texto, vejamos três pontos:

I. PODEMOS E DEVEMOS FAZER JEJUM DE COMIDA, MAS JAMAIS DE BÍBLIA – Mateus 4:1-2

1. Jejum é abster-se de comer por um período visando a uma consagração integral para uma missão sobrenatural. Jesus foi conduzido ao deserto pelo Espírito Santo logo após Seu batismo, tendo em vista a consagração para obra desafiadora que tinha pela frente.

2. Jejuar leva a pessoa e enfraquecer-se fisicamente, por outro lado, a fortalece sobremaneira o aspecto espiritual. Embora Jesus estivesse forte e vigoroso no aspecto espiritual, os 40 dias no árido deserto sem comer O levou a ter fome, enfraquecer, emagrecer, esgotar-se e desfigurar-se fisicamente .

3. Jejum deve estar vinculado com o meditar na Palavra de Deus, contudo, tal prática não garante o afastamento do diabo, mas é o segredo para vencer as tentações. Jesus creu na voz do Pai em Seu batismo: “Este é Meu Filho amado em quem Me comprazo” (Mateus 3:17); por isso Ele descansou no amor de Deus frente à pergunta capciosa do diabo. Além disso, o jejum O tornou apto para discernir a armadilha satânica e pode usar com propriedade: “Está escrito” para Se defender do diabo.

a) Se o jejum de Jesus fosse de Bíblia, não de alimentos, provavelmente Ele seria enredado nas tentações. Precisamos aprender com Jesus.
b) Se o jejum fosse de Bíblia, Jesus não teria subsídios suficiente para lidar com os demoníacos ataques espirituais. Assim podemos entender nossas fraquezas frente às tentações.
c) Se o jejum fosse de Bíblia, Jesus estaria espiritualmente fraco para enfrentar as artimanhas do diabo para derrubá-lO. Se Jesus precisava jejuar e consagrar-Se para vencer a tentação, quanto mais nós...

II. PODEMOS E DEVEMOS COMER FISICAMENTE, MAS NUNCA NEGLIGENCIAR O ALIMENTO ESPIRITUAL – Mateus 4:3-4

1. É correto jejuar, contudo, não é errado comer. Precisamos do “pão nosso de cada dia” (Mateus 6:11); porém, é errado abster-se do alimento espiritual, que são as palavras que saem da boca de Deus. Jesus declarou isso diretamente para Satanás, e o Espírito Santo revelou a nós essa importante verdade através do texto bíblico.

2. É certo comer pão como também é certo jejuar, mas não é certo negligenciar o estudo diário da Bíblia. Após dizer “Está escrito” a Satanás, imediatamente Jesus citou um texto escrito por Moisés, cerca de 1400 anos antes dEle (ver Deuteronômio 8:3). A escolha do texto revela perfeito discernimento de Cristo das Escrituras:

a) No deserto, quando os israelitas ficaram sem seus meios de subsistência, Deus proveu o maná a eles.
b) No deserto, se apesar dos desafios o povo continuasse a confiar em Deus, não seria desamparado.
c) No deserto, ao citar deuteronômio 8:3 para Satanás, Jesus mostrava-lhe que: Menor desgraça é “sofrer seja o que for, do que afastar-se de qualquer modo da vontade de Deus” (Ellen G. White. Desejado de Todas as Nações, p. 121).

3. É bom comer pão, mas sem alimentar-se da Palavra que sai da boca de Deus, não haverá completa satisfação e saciedade na alma. Apenas com “pão” (alimento físico), sem o alimento espiritual (“toda palavra que sai da boca de Deus”), haverá sempre um vazio indecifrável, uma insatisfação no coração. Os nutrientes dos alimentos físicos são insuficientes para satisfazer o ser humano que, além de físico, é um ser emocional/mental e espiritual.

III. PODEMOS E DEVEMOS CONHECER O VALOR DOS ALIMENTOS PARA O CORPO, PORÉM SEM DESPREZAR O ALIMENTO PARA A ALMA – Mateus 4:4

1. Conhecer a Bíblia é tão ou mais importante que saber a combinação dos alimentos para obter refeição saudável. Adão e Eva foram testados através da comida; Daniel e seus três amigos também. Satanás usou a mesma estratégia para Jesus. Desta forma, fica evidente que sem discernimento espiritual obtido na Palavra de deus, não saberemos lidar corretamente com os alimentos físicos.
2. Conhecer a Bíblia é tão ou mais importante que saber os caminhos para adquirir o pão de cada dia. Ainda que falte o pão de farinha, o Pão da Vida jamais deveria faltar. Pense comigo:

a) O que fazer quando Satanás impor em nossa sociedade um decreto que só poderá negociar comida aquele que tiver o sinal da besta? (Apocalipse 13:16-17)
b) O que fazer quando uma tentação mundial determinar que não se poderá comprar nem vender comida sem vincular-se à instituição opressora?
c) O que dizer diante da decisão de um chefe que pedir que seja feito algo que contraria os princípios de Deus, senão perderá o emprego?

3. Conhecer informações nutricionais dos alimentos para o corpo, sem dedicar-se a conhecer os alimentos espirituais, é perca de tempo.

a) De que adianta comer o que quiser, quando quiser, mas perder a salvação, a vida eterna?
b) De que adianta empanturrar-se das iguarias mundanas, mas não se deliciar nos banquetes espirituais preparados por Deus em Sua Palavra?
c) De que adianta ser saudável e forte fisicamente, mas doente e fraco espiritualmente diante dos ataques do diabo?

CONCLUSÃO:

1. É mais sensato morrer fisicamente do que morrer espiritualmente. Tem muita gente que já está morta espiritualmente, a vida espiritual está seca como um deserto, o testemunho é infrutífero. Para estas pessoas o cristianismo é uma farsa e sua religião é uma hipocrisia. A resposta de Jesus para Satanás deixou explícito que é melhor estarmos dispostos a obedecer a Deus custe o que custar do que manter a vida física custe o que custar.

2. É mais sensato priorizar a vida espiritual do que valorizar a vida física. Não é para desprezar uma em detrimento da outra, é que se tiver que priorizar, que seja o aspecto espiritual. Pois, a única forma de obter a vida eterna não é comendo muito “pão” diariamente, mas absorvendo diariamente “toda palavra que sai da boca de Deus”.

3. É mais sensato ficar sem “pão” (jejuar) mas alimentar-se com o “Pão da Vida” (Jesus e Sua Palavra) do que buscar iguarias requintadas desprezando o alimento espiritual. De que adianta ter acesso aos mais variados cardápios e restaurantes luxuosos mas estar desprovido da bênção da salvação, da vida eterna?

APELO:

1. Dedique-se a refletir sobre o jejum de Jesus e em Sua resposta e atitude diante das tentações, a fim de que te fortaleças para a vitória que Cristo quer te conceder.
2. Assimile diariamente o ensinamento de Jesus: “Não só de pão viverá o homem...”.
3. Absorva constantemente os nutrientes contidos em “toda palavra que sai da boca de Deus” a fim de que vivas eternamente.

Pr. Heber Toth Armí.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

DEIXE QUE O ESPÍRITO SANTO TE POSSUA


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: I Samuel 10:1-13

1.   Como humanos, somos limitados física, mental e espiritualmente.
2.  Como pecadores somos ainda mais limitados; somos cheios de defeitos, mais voltados à prática do mal do que do bem.
3.  Como crentes temos a revelação que mostra-nos que o Espírito Santo atua na vida dos pecadores desde os tempos do Antigo Testamento visando transformá-los em instrumentos de Deus. Antes de extrair lições e aplicações para a vida do texto em análise, observe este esboço:

(1) O profeta Samuel ungiu a Saul para ser o primeiro rei do povo de Deus, embora fosse ele um jovem tímido e imaturo (v. 1);
(2) O profeta apresentou três sinais garantindo a origem divina da instituição da monarquia através dele (vs. 2-6):

a) As jumentas que estavam sendo procuradas por Saul foram encontradas;
b) Três homens subiam para adorar em Betel e, um deles ofertaria a Saul dois pães quando o encontrasse;
c) Um grupo de profetas encontraria com Saul; o profeta dá detalhes desse encontro:

i.     O lugar seria em Gibeá-Elohim, o outeiro de Deus;
ii.   O momento seria quando o grupo voltava feliz de adorar;
iii.Ali, naquela ocasião, o Espírito Santo se apossaria de Saul, e ele:

[1] se uniria aos profetas para profetizar com eles;
[2] seria mudado em outro homem.

           (3)  O profeta afirmou e cada um dos sinais se cumpriu exatamente como fora profetizado (vs. 9-13).

Observe pelo menos três verdades extraídas deste texto:

I. O ESPÍRITO SANTO PRECISA NOS LIBERTAR DE NÓS MESMOS – I Samuel 10:1-6

A profecia apontada a Saul de que seria mudado em outro homem (v. 6) só alcançaria seu cumprimento quando Deus lhe mudasse o coração (v. 9).

1. O ser humano precisa ser mudado devido ao seu problema com o pecado que tem arruinado sua capacidade física, mental e espiritual.
2. A mudança de vida só será possível mediante uma mudança de coração, o qual resulta de um transplante sobrenatural operado pelo Espírito Santo.
3. A obra de Deus só pode ser executada de forma correta neste mundo por pessoas que experimentaram a transformação realizada pelo Espírito Santo.

II. O ESPÍRITO SANTO QUER AGIR “EM” E “ATRAVÉS” DE NÓS, “APESAR” DE NÓS – I Samuel 10:6-9

O tímido e ingênuo Saul que se depreciara modestamente em I Samuel 9:21 seria capacitados pelo Espírito Santo para agir em prol do povo aflito. Note o contraste:

· Sem o Espírito Santo, Saul não passava de um humilde trabalhador rural; mas, capacitado pelo Espírito Santo tornou-se um poderoso líder militar e civil (I Samuel 10:1, 17-22; 11:1-11).
·  Sem o Espírito Santo, Saul não passava de um jovem tímido de uma tribo pequena (I Samuel 9:17-21), ainda inseguro e medroso (I Samuel 10:20-21); porém, possuído pelo Espírito de Deus, ele não apenas profetizou com os profetas (I Samuel 10:10) como também tomou atitude ousada e organizou um exército em pouco tempo para derrotar inimigos que ameaçava ao povo de Deus (I Samuel 11:5-8, 11).
· Sem o Espírito Santo, seria natural Saul se vingar de conterrâneos opositores de seu governo; mas, regido pelo Espírito Santo, ele preferiu ser pacífico e compassivo mesmo após a vitória histórica sobre os amonitas (I Samuel 11:12-15).

Com isso, aprendemos que:

1. Apesar de sermos pecadores, o Espírito que é santo quer agir em, e através de nós.
2. Apesar de nossas falhas e limitações, o Espírito Santo pode nos capacitar para elevadas ações em prol do reino de Deus.
3. Apesar de quem somos, o Espírito Santo pode operar grandes maravilhas resultando em grandes bênçãos e vitórias para o povo de Deus.

III. O ESPÍRITO SANTO NOS TORNA INSTRUMENTOS SEUS PARA IMPACTAR OUTRAS PESSOAS E EXPANDIR O REINO DE DEUS – I Samuel 10:10-13

A mudança na vida de Saul impactou quem estava próximo a ele a tal ponto de um proverbio popular ter sido cunhado por causa dessa mudança. “Está Saul entre os profetas?” (I Samuel 10:12) é uma pergunta que se fazia para expressar surpresa quando uma pessoa desprovida de prestigio e valor na sociedade era transformada e se tornava importante e influente rapidamente. Mas, o mais importante é impactar a sociedade para promover o reino de Deus. E, no caso de Saul isso se deu ao lutar bravamente pelo povo que chorava diante das terríveis ameaças dos amonitas (I Samuel 11:1-6). Isso implica que:

1. A obra do Espírito Santo na vida de um indivíduo marca e impacta as pessoas de fé.
2. A obra do Espírito Santo na vida das pessoas chama a atenção para um “antes” e “depois” da transformação.
3. A obra do Espírito Santo em nós nos capacita para obras portentosas que visam abençoar ao povo de Deus e expandir o reino dos Céus neste mundo tomado pelos cruéis inimigos do bem.

CONCLUSÃO:

1. O Espírito Santo está disponível e desejoso de fazer uma transformação radical em nosso coração.
2. O Espírito Santo agiu no Antigo Testamento e agiu mais poderosamente no Pentecostes:

a) Os simples galileus, mas possuídos pelo Espírito Santo, pregaram poderosamente em diversas línguas sobre o reino de Deus a uma multidão (Atos 2:4).
b) Os galileus impactaram ao povo a tal ponto de perguntar referindo-se a eles: “Não são galileus todos esses aí falando?” (Atos 2:7).
c) Os galileus desprezíveis impactaram tanto com a pregação motivada pelo Espírito Santo que apenas um sermão levou quase 3.000 pessoas ao batismo (Atos 2:41).

3. O Espírito Santo agirá mais poderosamente na igreja de Deus no tempo do fim promovendo o maior reavivamento espiritual da história (Apocalipse 18:1).

APELO:

1. Reconheça a necessidade de ser possuído(a) pelo Espírito Santo.
2. Permita que o Espírito Santo faça um transplante em teu coração para que tua vida seja transformada.
3. Seja o instrumento de Deus decidindo submeter-se constantemente à ação do Espírito Santo.

Pr. Heber Toth Armí

domingo, 13 de janeiro de 2019

LIVROS LIDOS, SUBLINHADOS E ESTUDADOS EM 2018


1. Irmãos do Rei: Uma análise dos caracteres que compõem a família de Deus, por Arthur W. Spalding. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2000. 3ª edição 76 páginas.

2. Desafios do Século 21 para o Pensamento Cristão: Esboços teológicos, por Justo González. São Paulo: Hagnos, 2014. 1ª edição (210 páginas).

3. A Bíblia que Jesus Lia, por Philip Yancey. São Paulo: Editora Vida, 2000 (213 páginas).

4. Deliverance in the Psalms: Mensages of hope for today, por Hans K. LaRondelle. Barrien Springs, MI: First Impressions, 2006. 1ª edição (210 páginas).

5. Apocalipse para Hoje: Aplicação e atualidade da revelação, por João Leonel. Viçosa, MG: Ultimato, 2016. 1ª edição eletrônica (88 páginas).

6. O Israel de Deus na Profecia: Princípios de interpretação profética, por Hans K. LaRondelle. Engenheiro Coelho, SP: Imprensa Universitária Adventista, 2003. 1ª edição (246 páginas).

7. Entendes o que Lês? Um guia para entender a Bíblia com o auxílio da exegese e da hermenêutica, por Gordon D. Fee e Douglas Stuart. São Paulo: Edições Vida Nova, 1997. 2ª edição (330 páginas).

8. Habacuque: Como transformar o desespero em cânticos de vitória, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2007. 1ª edição (158 páginas).

9. Joel: O profeta do Pentecostes, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2009. 1ª edição (118 páginas).

10. Tiago: Transformando provas em triunfos, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2006. 1ª edição (158 páginas).

11. Jonas: Um homem que preferiu morrer a obedecer a Deus, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2008. 1ª edição (124 páginas).

12. O Grande Movimento Adventista, por J. N. Loughborough. Jasper: Oregom, Adventist Pioneer Library, 2014. (398 páginas).

13. Crise Existencial: Existe saída [Edição atualizada], por Alejandro Bullón. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2017. 12ª edição (71 páginas).

14. Cristologia do Novo Testamento, por Oscar Cullman. São Paulo: Editora Liber, 2001. 1ª edição (440 páginas).

15. O Poder da Esperança: Segredos do bem-estar emocional, por Julián Melgosa e Michelson Borges. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2018. 1ª edição (96 páginas).

16. Contagem Regressiva: Como se preparar para os eventos finais, por Norman R. Gulley. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2018. 1ª edição (104 paginas).

17. Cómo Leer a Elena de White: Cómo entender y aplicar sus escritos, por George R. Knight. Miami, Flórida: Asociación Publicadora Interamericana, 2004 (157 páginas).

18. Cristo em Seu Santuário, por Ellen G. White. Ellen G. White Estate, 2002. (126 páginas, E-book).

19. O Medo é uma Masturbação Mental: Como se livrar dele para sempre, por Giulio Cesare Giacobbe. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011. 1ª edição (256 páginas).

20. Transtornando o Mundo: Aprendendo a evangelizar com o apóstolo Paulo, por John Crotts. São José dos Campos, SP: Fiel, 2017. 1ª edição (94 páginas).

21. Simples Demais: Um modelo bíblico para a cura da mente, por Timothy R. Jennings. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2011. 1ª edição (190 páginas).

22. Ira Sob Controle: Respostas positivas para emoções negativas, por Larry Yangley. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2008. 1ª edição (128 páginas).

23. Um Recado para Ganhadores de Almas, por Horatius A. Bonar. São Paulo: Vida Nova, 2007. 2ª edição (64 páginas).

24. Salvação para Todos: A mensagem da graça em Romanos, por George R. Kinght. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2017. 1ª edição (108 páginas).

25. Tito e Filemom: Doutrina e vida, um binômio inseparável, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2009. 1ª edição (162 páginas).

26. Dinheiro: Problema ou Solução? Como lidar com os perigos do materialismo, por John Mathews. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2017. 1ª edição (94 páginas).

27. Por que, Senhor? As respostas que você precisa para as perguntas que sempre fez, por José Pereira. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2017. 3ª edição (148 páginas).

28. Autocontrole: Vença os fantasmas da emoção, por Augusto Cury. São Paulo: Gold Editora, 2015. 1ª edição (64 páginas).

29. Deixando seu Passado Para Trás: Curando as feridas mais profundas da vida, por Erwin W. Lutzer. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembléias de Deus, 2011. 1ª edição (168 páginas).

30. Serviço Cristão, por Ellen G. White. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2004. 9ª edição (284 páginas).

31. Os Provérbios do Diabo: A voz do Maligno na sabedoria popular, por Álvaro César Pestana. São Paulo: Editora Vida Cristã, 2007. 1ª edição (178 páginas).

32. Provérbios do Homem-Deus: Frases poderosas de Jesus de Nazaré, por Álvaro César Pestana. São Paulo: Editora Vida Cristã, 2002. 1ª edição (236 páginas).

33. As Teses de Satanás: Descubra como a história de Jó pode ajudar a enfrentar os desafios de hoje, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2014. 1ª edição (88 páginas).

34. Reavivados pela Palavra de Deus: Um guia prático para o estudo da Bíblia, editado por Becky Scoggins. Associação Ministerial – Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, 2013 (45 páginas).

35. Igreja Simples: Retornando ao processo de Deus para fazer discípulos, por Thom S. Rainer & Eric Geiger. Brasília, DF: Palavra, 2011. 1ª edição (280 páginas).

36. Crise Espiritual: Como lidar com os altos e baixos da vida cristã, por Fernando Beier. Casa Publicadora Brasileira, 2013. 1ª edição (112 páginas).

37. Ego Transformado: A humildade que brota do evangelho e traz a verdadeira alegria, por Timothy Keller. São Paulo: Vida Nova, 2014. 1ª edição (48 páginas).

38. Você e Deus: Paz através da oração, por Luiz Waldvogel. Campinas, SP: Edições Novo Dia, 1992. 1ª edição (152 páginas).

39. Um Novo Mundo, por Alfonsas Balbachas. São Paulo: Editora Missionária a Verdade Presente, n/d, 4ª edição (312 páginas).

40. Educação, por Ellen G. White. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2007. 9ª edição (324 páginas).

41. Um Dia Inesquecível: Meditações diárias, por Alberto R. Timm. Casa Publicadora Brasileira, 2018. 1ª edição (375 páginas).

Essa lista visa despertar o interesse dos meus amigos pela leitura! E, aqui você tem ótimos títulos para ativar esse hábito neste ano novo!

Pr. Heber Toth Armí 

Postagens mais acessadas nesta semana