quarta-feira, 9 de março de 2011

COMO LIDAR COM A RELIGIÃO ALHEIA


Lendo o livro do patriarca Jó é possível perceber uma apologia às crenças da época em que o livro foi escrito. Os amigos de Jó – Elifaz, Bildade e Zofar – defendiam a teoria de que o sofrimento é causado por Deus pela consequência exclusiva de um ato pecaminoso secreto ou público; assim sendo, na visão deles, Jó cometera um pecado terrível. Em toda a narrativa do livro, Jó e os três amigos (Jó 2:11) filosofaram sobre os motivos e justificativas do sofrimento, no entanto Jó não se converteu aos argumentos dos amigos. Diante de tamanha apologia dos amigos de Jó, a pergunta que levanto é:

POR QUE A APOLOGIA DAS PERSPECTIVAS DOS AMIGOS DE JÓ NÃO O CONVENCERA COMO SENDO CORRETAS?
A resposta a esta pergunta nos fará refletir sobre nossa maneira de lidar com o sofrimento dos outros. Percebemos numa leitura atenta de todo o livro que Elifaz, Bildade e Zofar, três filósofos amigos de Jó, não o encaravam mais como uma pessoa carente de ajuda e conforto, mas como uma abstração teológica. Diante de tanto sofrimento eles não manifestaram qualquer misericórdia. Suas palavras eram desprovidas de esperança e compaixão. Estavam quase destruindo seu amigo sofredor a fim de proteger suas próprias teorias religiosas. A apologia ao sofrimento baseada em convicções alheias à Palavra de Deus encostaram Jó na parede e não trouxeram nenhum conforto.
·   Aplicação bíblica para hoje: É muito fácil agirmos como os “amigos” de Jó. Porém, sempre que agimos como eles, quase que obrigamos a pessoa a rejeitar nossa amizade. Ao defendermos crenças distorcidas geralmente forçamos a pessoa envolvida a crer e aceitar aquilo que queremos e não aquilo que é verdade... Por outro lado, Deus nunca força ninguém a fazer algo contra a própria vontade, e Seus seguidores devem agir conforme o caráter de Jesus.
Voltando ao caso de Jó, no livro que contém a sua história, fica evidente que este ser humano, que sofria indescritivelmente, percebia de forma clara quais eram as motivações em relação a ele. Ao ser questionado e acusado, Jó não podia ver o amor de Deus na vida de seus amigos, mas desprezo e repulsa. Deste modo, Jó permaneceu com suas próprias crenças.
·   Aplicação bíblica para hoje: É impossível que alguém manifeste amor e gratidão quando percebe que em um cristão não existe o amor de Deus. Apenas fé teórica, fria e indiferente ao próximo não atrai o coração de ninguém.

PRINCÍPIOS PARA A VIDA EXTRAÍDO DA ATITUDE DOS AMIGOS DE JÓ:
1. É impossível ajudar corretamente alguém sem a atuação do amor de Deus impregnado no coração. Deus é amor, quem ama a Deus ama o próximo independente das circunstâncias.
2. É impossível confortar corretamente alguém sem a presença constante de Deus. Sem a direção e a influência divina, qualquer esforço, por melhor que seja a intenção, será inútil.
3. É impossível consolar corretamente alguém sem humildade e submissão ao poder regenerador do Espírito Santo. Embora altamente religiosos e intelectuais, os amigos de Jó não tinham o Espírito Santo. Em vez de serem condutos do Espírito de Deus, os três amigos de Jó eram apenas homens presos às teorias e tradições humanas.
4. É impossível restaurar corretamente uma pessoa que sofre quando se lida com ela como se fosse objeto da ira de Deus. Os amigos de Jó não o encaravam como objeto do amor de Deus, mas como ameaça à sua fé.

PRINCÍPIOS PARA A VIDA BASEADOS NA ATITUDE DE JÓ DIANTE DE SEUS AMIGOS:
1. Faça como Jó, interceda por aqueles que injustamente te acusam: Jó sendo homem íntegro, reto e temente a Deus (Jó 1:1) fez algo nobre e eficaz pelos seus amigos que lhe causaram mais dor que consolo. Jó fez por eles o que eles deveriam ter feito por ele. Jó intercede em oração a Deus pelos amigos. Deus aceita a intercessão de um justo por aqueles que não disseram nada certo com relação a Deus (Jó 42:7-9).
2. Faça como Jó, ore por aqueles te prejudicam: Siga as orientações de Deus, interceda e ore humildemente em favor da restauração de seus amigos, como fez Jó. Apresenta-lhes o amor e a misericórdia de um Deus compassivo, misericordioso e cheio de graça.
3. Faça como Jó, não vire as costas para os amigos hereges: Ore por aqueles que não entendem a Bíblia e possuem idéias incorretas de Deus. Interceda por pessoas de outras denominações com crenças diferentes das suas; antes, porém, esteja atento às instruções de Deus e do Espírito Santo, pois você pode estar errado.
4. Faça como Jó, demonstre amor altruísta pelos outros: Revele o amor de Deus em atos e palavras a todos os que te rodeiam, sejam estes doentes, incrédulos, ateus ou mesmo cristãos.

Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana