sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022

ARGUMENTOS A FAVOR DA SOBERANIA DE JESUS

INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Hebreus 1:1-3

1. O livro de Hebreus apresenta Jesus após a Sua vitória na cruz, depois de ter ressuscitado e retornado aos Céus, destacando Sua superioridade:

a) Jesus é superior aos profetas do Antigo Testamento, Sua revelação sobre as coisas espirituais são mais abrangentes que a dos profetas (Hebreus 1:1-3).

b) Jesus é superior aos mais fortes e poderosos anjos de Deus (Hebreus 1:4-2:18).

c) Jesus é superior a Moisés, o maior líder do Antigo Testamento (Hebreus 3:1-4:16).

d) Jesus é superior ao Sumo Sacerdote Arão, o mais respeitado dos Sumos Sacerdotes do Antigo Testamento (Hebreus 5:1-8:5).

2. O livro de Hebreus nos oferece uma teologia e cristologia abrangente: “Esta epístola assemelha-se mais a um tratado teológico do que a uma carta [...]. A primeira parte da epístola não difere de um tratado teológico e veemente” (Siegfried J. Schwantes).

3. O livro de Hebreus é tão atual hoje como o foi ao ser escrito: “A mensagem de Hebreus ainda é importante para a igreja atual. A epístola demonstra que a teologia bíblica é importante na pregação e também para atender às necessidades humanas [...]. Hebreus é vital por suas afirmações específicas sobre o santuário e ministério celestial ministrado por Cristo, nosso grande Sumo Sacerdote” (William G. Johnsson).

I. A SUPERIORIDADE DE JESUS SE DÁ PELO FATO DELE SER O FILHO DE DEUS – Hebreus 1:2

1.   O fato de Jesus ser chamado Filho de Deus não quer dizer que Ele não seja eterno. É preciso ler a Bíblia atentamente para não cair nas absurdas heresias que o livro de Hebreus combate em suas páginas.

2.  O fato de Jesus ser identificado como Filho de Deus enfatiza a Sua essência, não Seu início. Aliás, em nenhum momento o texto indica estar se referindo a algum tipo de início de Cristo; aliás, tudo o que existe no Universo é iniciado por Ele.

3.  O fato de Jesus ser reconhecido como Filho de Deus destaca Sua superioridade sobre a revelação transmitida e escrita pelos profetas inspirados pelo Espírito Santo. Por tão boa que fosse a revelação dos profetas, a de Jesus é melhor; Ele é a própria revelação, a autoridade máxima da revelação; por isso, Ele é superior.

II. A SUPERIORIDADE DE JESUS É DEVIDO À HERANÇA QUE ELE HERDOU – Hebreus 1:2

1. Jesus reconquistou o poder que fora dado a Adão e Eva: Após derrotar o usurpador que detinha o poder da morte, Jesus resgatou o mundo e libertou aos seres humanos das grossas correntes do medo da morte (Hebreus 2:14-15); assim, Ele reconquistou os perdidos no pecado, para Si. Os arrependidos e conversos a Cristo são Seus troféus, ou seja, Sua herança que fora sequestrada pelo Diabo (Hebreus 12:1-2; conf. Isaías 53:10-12).

2. Jesus assume o governo de Adão e Eva que fora perdido com a queda: Deus fez os seres humanos para representá-Lo no Planeta Terra administrando tudo no lugar de Deus (Gênesis 1:26-28; 2:15-18; Salmo 8:1-9). Satanás tomou o governo das mãos de Adão e Eva; porém ao vencer o mal e ressurgir da morte, Jesus assumiu toda autoridade tanto no Céu quanto na Terra (Mateus 28:18; Apocalipse 1:17-18).

3. Jesus submeteu-Se para ser exaltado, Sua humilhação Lhe rendeu o nome sobre todo nome: Pelo sacrifício humilhante e degradante, Jesus foi exaltado pelo Pai Celestial “à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos Céus, na Terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus é Senhor para a glória de Deus Pai!” (Filipenses 2:10-11). Como Soberano de todas as coisas, Jesus tornou-Se herdeiro de tudo. Aí encontramos uma das razões de Sua superioridade.

III. A SUPERIORIDADE DE JESUS SE DEVE A SUAS MARAVILHOSAS OBRAS – Hebreus 1:2-3

1. Jesus é o Criador do infinito e vasto Universo: A capacidade de criar sobrenaturalmente é só para Quem possui equivalência com a natureza divina do Pai. Aquele que andou entre os seres humanos, é o Criador dos seres humanos, superior a Moisés, Arão, Maria, João, Pedro e Paulo. Sua superioridade se nota no fato de que “nele foram criadas todas as coisas nos Céus e na Terra, as visíveis e invisíveis, sejam tronos sejam soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por Ele e para Ele” (Colossenses 1:16).

2. Jesus é o esplendor da esplendorosa glória de Deus: Embora “os Céus declaram a glória de Deus”, e “o firmamento proclama a obra das Suas mãos” (Salmo 19:1), Jesus estava no princípio de tudo com Deus; contudo, tornou-Se carne a fim de que vejamos a Sua glória e a glória do Pai (João 1:1-3, 14).

3. Jesus é a expressão exata da pessoa (ser) de Deus Pai: A declaração de Jesus sobre Si mesmo “quem Me vê, vê o Pai” (conf. João 14:8-11) evidencia Sua equivalência, igualdade e exatidão com a natureza, essência e autoridade em relação a Deus Pai. Por isso, Paulo afirma: “Ele é a imagem do Deus invisível”, e “em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade” (Colossenses 1:15, 2:9).

4. Jesus é o mantenedor do Universo inteiro: Paulo também afirmou que Jesus “é antes de todas as coisas, e nEle tudo subsiste” (Colossenses 1:17). O mesmo Ser que trouxe a criação à existência através do poder de Suas palavras (Salmo 33:6, 9) mantém tudo em funcionamento ainda hoje. Jesus é poderoso, Ele é o Criador que veio para estar entre Suas criaturas.

5. Ele é o poderoso redentor do miserável pecador: Com a queda da raça humana na desgraça do pecado, surgiu a necessidade de um poderoso salvador. Tal salvador foi representado pelos sacrifícios de cordeiros no Antigo Testamento, por isso no batismo de Cristo, João Batista proclamou ao mundo: “É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Os evangelhos apresentam o que Cristo fez na Terra, e a carta de Hebreus revela o que Ele está fazendo no Céu para salvar o pecador. Na Terra, Ele foi o sacrifício; no Céu, Ele é o Sumo Sacerdote que ministra no Santuário não feito por homens, mas pelo próprio Deus (Hebreus 8:1-2). Assim, Ele está purificando o pecado do crente, e oferecendo-lhe esperança.

6. Ele é o Rei que assentou-Se à direita da Majestade nas alturas: “O ato de Cristo  Se assentar foi formal, uma posse no ofício, uma investidura ou coroação. Foi uma investidura em autoridade, o reconhecimento de Seu direito de exercer a jurisdição. Marcou o começo, não o fim, de Sua atividade como Mediador. É o equivalente ao selo de Deus sobre Sua obra mediadora. Quando Cristo Se assentou à direita da Majestade, Deus colocou Sua aprovação sobre a obra de Cristo executada na Terra e a aceitou. Deus Se dirigiu a Ele como Sumo Sacerdote e O autorizou, a partir de então, a atuar como Mediador, segundo a ordem de Melquisedeque (Hb 9:17)” (Comentário Bíblico Adventista).

a) Jesus subiu ao Céu no ano 31 d.C. e assumiu a função de superior Sumo Sacerdote no Lugar Santo do Santuário no Céu, função que visa interceder por aqueles que se aproximam de Deus (Hebreus 7:23-25).

b) Jesus entrou no Lugar Santíssimo no Santuário Celestial no ano de 1844, conforme a profecia de Daniel 8:13-14, atuando como Juiz e Advogado.

c) Jesus deixará o Santuário Celestial ao cumprir Seu ofício nele, e então regressará ao mundo para trazer a plenitude da salvação aos seres humanos (Hebreus 9:27-28).

CONCLUSÃO:

1. O Criador é Jesus, e também a comunicação final de Deus com a humanidade. Ele revela com exatidão e perfeição o maravilhoso caráter de Deus que fora deturpado pelo diabo e seus demônios. A autoridade de Cristo advém de Sua superioridade, da qual nos convida a submetermo-nos a Ele caso queiramos nos livrar das desgraças do pecado.

2. O Criador é Jesus, o qual tornou-Se humano para resgatar pecadores mergulhados na fétida e contaminada lama do pecado. Sua entrega total e humilhação na terrível cruz, fez dEle um poderoso Salvador que anseia o resgate de todo miserável pecador.

3. O Criador é Jesus e também o auge da revelação de Deus, superior a tudo e a todos. Jesus é o Soberano do Universo, que reconquistou o poder do mundo das mãos do nosso Inimigo, acusador e destruidor – Satanás. Nas obras poderosas e vitoriosas de Cristo reside nossa única esperança neste mundo asqueroso.

APELO:

1. Estude a Bíblia para conhecer os maravilhosos atos e planos de Deus por e para você.

2. Medite nos ensinamentos da Bíblia para que você tenha uma visão correta e mais abrangente da pessoa de Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo.

3. Receba a Cristo Jesus em tua vida como teu Senhor, Ele é a comunicação da revelação final e perfeita do divino plano restaurador do miserável pecador.

Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana