domingo, 30 de junho de 2019

IMPLICAÇÕES DAS VINDAS DE CRISTO AO MUNDO


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Malaquias 3:1-6

1. É possível que algumas vezes estejamos iludidos ou enganados quanto ao que queremos de Deus: Quando clamamos por justiça neste mundo estamos considerando que somos injustos?

2. É possível que precisemos de correção de Deus com relação à nossa compreensão sobre Sua atuação na história: Quando pensamos que Deus deveria agir em nossa sociedade corrupta, estamos considerando que somos culpados também?

3. É possível que precisemos de informação extras antes de questionarmos a Deus quanto a Seu juízo: Quando exigimos que o Deus do juízo se manifeste, entendemos tudo o que isso significa para nós, nossos familiares e nossa sociedade e nosso planeta?

I. A INTERVENÇÃO PESSOAL E DIRETA DO SENHOR NESTE MUNDO É PRECEDIDA DE UM PRECURSOR – Malaquias 3:1 

1. Um deles é Malaquias, cujo nome significa meu mensageiro. Exemplificando todos os outros profetas que o antecederam.

2. Outro é João Batista, que preparou o caminho diante do Senhor, aproximadamente 400 anos após Malaquias.

3. Outro ainda será o remanescente do tempo do fim. Assim como a primeira vinda de Cristo houve um precursor, a segunda vinda de Cristo também terá. Não podemos esperar a vinda Cristo estando despreparados. João Batista teve a incumbência de preparar um povo para a primeira vinda do Senhor; mas, para a segunda vinda o preparo é mais intenso, porque o efeito também é maior.

II. A INTERVENÇÃO PESSOAL E DIRETA DO SENHOR EM NOSSO MUNDO ACONTECE DE FORMA REPENTINA – Malaquias 3:1

1. O Senhor virá em Seu templo, Ele é o Anjo da Aliança. Ele é Jesus, o Messias (Marcos 1:1-5). Em Sua primeira vinda, Jesus entrou no templo duas vezes para o purificar; nas duas ocasiões Ele expulsou os malfeitores, exploradores e pervertedores da religião. Em 1844 Ele entrou no Lugar Santíssimo do templo Celestial para a obra de juízo investigativo que antecede à Sua segunda vinda.

2. O Senhor é esperado, mas não compreendido pelos que O esperam:

a) O Messias não viria para promover politicamente a Israel e destruir os gentios, por isso as pessoas poderiam não suportar a Sua vinda.
b) O Messias não viria para beneficiar os hipócritas, imorais e céticos filhos de Abraão, por isso muitos não subsistiriam quando Ele aparecesse.
c) O Messias não viria para premiar os pecadores, mas para purificar a imundícia do pecado na vida de Seu povo.

3. O Senhor virá não para reinar no mundo, mas para purificar o coração dos pecadores:

a) O objetivo de Sua vinda é comparada à obra do fogo do ourives.
b)  O objetivo de Sua vinda também é comparada à obra de um derretedor e purificador da prata.

1) Ele irá purificar os líderes espirituais de Seu povo.
2) Ele purificará os líderes religiosos de toda escória do pecado, assim serão refinados como ouro e prata.
3) Ele purificará os líderes para que estes cumpram devidamente suas funções sacerdotais. 

c)   O alvo final de Sua vinda será preparar um povo que seja agradável a Deus. Para isso, ele testemunhará contra...

1) Os feiticeiros.
2)  Os adúlteros.
3) Os mentirosos.
4) Os que defraudam o salário dos trabalhadores.
5) Os que oprimem a viúva e o órfão.
6) Os que torcem o direito dos estrangeiros.
7) Os que não temem a Deus.

III. A INTERVENÇÃO PESSOAL E DIRETA DO SENHOR PRESERVARÁ UM REMANESCENTE – Malaquias 3:6

1. Diante do juízo divino aos pecadores, pode não sobrar ninguém, pois todos somos transgressores; porém, graças à misericórdia de Deus, um remanescente será preservado.

2. Diante do juízo divino não somos filhos de Israel, mas de Jacó, o enganador; se não fosse a misericórdia divina que sempre agiu para preservar os pecadores, não sobraria ninguém.

3. Diante do juízo, a graça se apresenta para nos oferecer o caminho para fugir da desgraça. Porque Deus não muda, a descendência que Ele prometera logo veio (Malaquias 2:15) e hoje aguardamos Sua segunda vinda para resgatar o remanescente.

CONCLUSÃO:

1. O povo que queria a vinda do Messias não estava preparado para recebê-lO. Hoje ansiamos pela segunda vinda de Cristo, mas, estamos preparados para receber o Senhor novamente neste mundo, e agora com poder e glória?

2. O povo que desejava a vinda do Senhor mesmo com tudo que havia sido feito em seu favor desde Gênesis 3:15 ainda não estava preparado. A ideia equivocada sobre a vinda do Deus do juízo que eles possuíam despertava interesse, será que não precisamos de esclarecimento bíblico do que significa a segunda vinda de Cristo como os judeus precisaram sobre a primeira vinda?

3. O povo que desejava a vinda do Senhor precisava se preparar muito ainda para que o Senhor pudesse nascer em seu território. Para isso, tinham todos os escritos inspirados dos profetas antes de Malaquias. A mensagem de Malaquias acrescentava subsídios para o preparo do povo. Ainda viria João Batista como precursor do Messias. Todavia, a maioria não estava preparada quando Ele veio. E quanto a nós, que aguardamos a segunda vinda, estamos preparados?

a) Temos todo o Antigo Testamento e, acrescentado a ele temos todo o Novo Testamento com os escritos dos apóstolos que andaram com o Messias, o qual cumpriu a profecia em relação à Sua primeira vinda.

b) Temos a garantia do próprio Cristo que se fez carne, habitou entre nós, assumiu nossa culpa, morreu em nosso lugar, ressuscitou para garantir-nos que nEle a morte não tem mais poder sobre nós.

c) Temos um povo que surgiu em 1844 com uma pregação focada no segundo advento de Cristo (adventistas) como precursor semelhante a João Batista no espírito de Elias que cresce e se espalha pelo mundo. Com tudo isso, estamos preparados para a volta de Jesus?

Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana