segunda-feira, 4 de abril de 2011

O PECADOR PRECISA DO SACRIFÍCIO DO CORDEIRO DE DEUS

INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Gênesis 4:1-8
1.  Logo após o pecado Deus matou um cordeiro (ovelha) a fim de cobrir a vergonha dos pecadores (Gênesis 3:21).
2.  Logo após o pecado Deus instruiu os pecadores a buscarem uma simbólica solução para o pecado e suas conseqüências no sacrifício de um cordeiro (Gênesis 4:4).
3.  Logo após o pecado Deus providenciou a morte de Jesus ilustrada na morte de um animal (João 1:29).
4.  Logo após o pecado, o orgulho, a inveja e a arrogância se espalharam por todos os cantos. Conseqüentemente, a independência de Deus torceu a verdadeira adoração, excluindo o cordeiro da mesma; desprezando assim o plano de Deus.
§  Gênesis 4 faz referência a Abel a fim de contrastar a grande tendência pecaminosa de Caim.
§  Gênesis 4 ilustra dois tipos de adoradores na igreja: Abel (trigo) Caim (joio).
§  Gênesis 4 apresenta as conseqüências de desprezar o Cordeiro na vida religiosa.

I.  QUEM REJEITA POR CONVENIÊNCIA O SACRIFÍCIO DO CORDEIRO NÃO É ACEITO POR DEUS – Gênesis 4:3, 5
1.  O pecador precisa reconhecer que Jesus, o Cordeiro de Deus, é o único que pode tirar a barreira de pecado que intercepta o caminha a Deus.
2.  O pecador que procurar atalhos para Deus, assim como Caim nunca O encontrará o favor divino.

II.  QUEM REJEITA O SACRIFÍCIO DO CORDEIRO ADORA APENAS COM OS LÁBIOS – Gênesis 4:5
1.  Quem adora a Deus apenas com os lábios não O adora de coração.
2. Quem adora a Deus apenas com os lábios, tem apenas uma casca de religiosidade como a de Caim. Havia orgulho no coração!

III. QUEM ACEITA O SACRIFÍCIO DO CORDEIRO SERÁ EVIDENTE EM SUA ADORAÇÃO – Gênesis 4:4
1.  A adoração pura, sincera e verdadeira nasce no coração e se torna evidente na prática. Reconhece que o salário do pecado é a morte, a qual alcançou até mesmo o Cordeiro de Deus.
2.  A adoração pura, sincera e verdadeira tem a aprovação de Deus, como teve a de Abel.

IV.  QUEM ACEITA PELA FÉ O SACRIFÍCIO NÃO TEMERÁ NEM MESMO A MORTE – Gênesis 4:8
1.  A verdadeira adoração incita a ira daqueles que não se humilham diante de Deus, mas não inibe o verdadeiro adorador de sacrificar a Deus.
2.  A verdadeira adoração desperta o ódio no coração injusto, mas mesmo diante da injustiça o verdadeiro adorador permanece justo como Abel.

CONCLUSÃO:
1. Ignorar Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, é adorar a Deus como Caim, de acordo com as suas próprias conveniências. Deus não aceita rituais, Ele deseja santidade.
2. Ignorar Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, significa preferir o pecado. O pecado afasta qualquer um de Deus.
3. Ignorar Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, é uma tentativa frustrante de tentar alcançar a felicidade. Matar Abel não trouxe a solução esperada para o problema da alma de Caim.
4. Ignorar Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, é a pior decisão que alguém pode tomar. Depois de ignorar o sacrifício do cordeiro, o coração de Caim endureceu a tal ponto que rejeitou o gracioso e misericordioso apelo divino (Gênesis 4:7); e, por fim, afastou-se de Deus para sempre (Gênesis 4:16).

APELO:
1. Não siga o caminho da adoração arrogante traçado por Caim, mas siga o exemplo de adoração humilde traçado por Abel.
2. Não viva a mesma experiência injusta de Caim, mas a experiência justa de Abel. A religião precisa ser segundo Deus e não segundo os homens.
3. Não despreze o Cordeiro como fez Caim; pelo contrário, aceite agora mesmo o sacrifício de Cristo e serás aceito por Deus como foi Abel.
4. Não fuja de Deus como fez Caim, aproxime-se dEle agora mesmo, pois Ele anseia por esse encontro (Gênesis 4:7).
Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana