domingo, 14 de março de 2021

A FRAGILIDADE DA POLÍTICA NACIONAL E MUNDIAL

INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Daniel 2:34-35, 44-45

1. Um dia, o soberano do poderoso Império Babilônico sonhou com uma imagem contendo vários metais valiosos; entretanto, ele esqueceu completamente do que havia sonhado.

2. Em seus momentos de glória, o opulento rei da Babilônia ficou perturbado com aquele sonho; e, enraivecido ameaçou todos os sábios que não o ajudaram a lembrar do sonho, e por isso não podiam apresentar nenhum significado ou prognóstico.

3. A majestade do maior império da época encontrou alguém que resolveu sua inquietação, sua falta de memória e seu interesse no significado do sonho. Daniel, o servo do Deus do Céu, foi uma bênção ao rei e também aos sábios que foram condenados à morte. Após relembrar o sonho, apresentou seu significado: A estátua com vários metais se refere à política mundial que um dia será destruída subitamente:

     a) A cabeça de ouro simboliza a Babilônia, de 605 a.C. a 562 a.C.
b) O peito e os braços de prata representam Medo-Persa, de 562 a.C. a 539 a.C.
c) O ventre e os quadris de bronze apontam para a Grécia, de 539 a.C. a 30 a.C.
d) As pernas de ferro simbolizam Roma, de 168 a.C. a 476 d.C.
e) Os pés de ferro e barro assinalam a Europa dividida, de 476 d.C. até o dia da segunda vinda de Cristo.
f) A pedra que destruiu a estátua e transformou-se numa montanha profetiza do Reino Divino, iniciará na segunda vinda de Cristo e não terá fim. 

Nosso estudo visa o fim da política humana e o início da justa, perfeita e correta política divina, conforme revelado nos versículos 34-35, 44-45.

I.        O FIM DOS PODERES ADMINISTRATIVOS HUMANOS – Daniel 2:34, 44

1. Os pés de barro e ferro mostram que os poderes humanos são efêmeros, passageiros: Antes desses reinos fragilizados representados pelo ferro e o barro, outros reinos/impérios fortes, bem estruturados, imponentes e ricos tornaram-se apenas história antiga. Todos os impérios, sem exceção, tiveram início, meio e fim. Nenhum reino humano é eterno.

2. Os pés de ferro e barro representam os resquícios da política mundial após anos dourados de política e administração falidos: Os pés da estátua revelam a fragilidade dos reinos humanos. Sustentar uma estátua pesada com vários quilos de metais preciosos numa base frágil, significa a vulnerabilidade dos reinos humanos. Todos fracassaram.

3. Os pés de ferro e barro representa a última fase da história política do mundo: Esta última fase começou com o fim do Império Romano, em 476 d.C. Então, logo essa fase passará, dando lugar a um reino eterno, livre dos conflitos bélicos, das ameaças internas e externas, das mortes e violências, corrupções e imoralidades, injustiças e opressões que caracterizaram os reinos governados pelos poderosos seres humanos.

II. A DESTRUIÇÃO TOTAL DOS PODERES CRIADOS PELOS SERES HUMANOS – Daniel 2:35, 44

1. É possível observar que todas as fases anteriores tiveram seu fim: Todas as fases da profecia se cumpriram à risca, conforme Deus havia interpretado para Nabucodonosor através de seu servo, o profeta Daniel. Ou seja, intentar mudar o rumo da história, é investir no que já está provado ser um fracasso, uma ilusão, uma utopia – reinos efêmeros.

2. É possível uma última tentativa de liderar o mundo: Ao relacionar o barro com o poder religioso e o ferro com o poder civil, poderemos perceber a última tentativa de liderança mundial antes do fim dos poderes humanos, como está descrito na besta que subiu do mar, em Apocalipse 13:1-10; e, na besta que subiu da terra, em Apocalipse 13:11-18.

3. É impossível uma nova fase na estátua: Note que mesmo intentando preservar suas características procurando manter o poder que estão prestes a perder não há nada da estátua além dos pés; os pés de ferro e barro compõem a última fase da história da humanidade com líderes humanos, em seguida vem a pedra destruidora.

III. O ESTABELECIMENTO DO REINO DE DEUS SE DÁ COM A DESTRUIÇÃO DOS REINOS HUMANOS – Daniel 2:35, 44-45

1. A pedra vem do Céu, não tem qualquer participação ou envolvimento humano: Todo acontecimento relacionado à pedra é sobrenatural. É de origem divina. Seu efeito é radical ao acertar exatamente nos pés da estátua de vários metais.

2. A pedra esmiuçou tudo o que era estátua: Não sobrará nada para contar a história. Isso significa que nada sobrará da política ou administração humana. Embora pareça que até chegar à fase dos pés, todas as culturas passadas terão exercido alguma influência na última fase, após a destruição causada pela pedra nenhum resquício de influência ou filosofia passará ao novo reino.

3. A pedra significa o Reino de Deus em lugar dos reinos dos homens: o reino de Deus não terá nenhum rival, será único, eterno, justo, perfeito, indestrutível, ou seja, incomparável. Seus súditos serão aquelas pessoas que se preparem para participarem dele, se comprometendo no presente com o Rei Jesus Cristo.

CONCLUSÃO:

1. O reino de Deus começa aqui agora: Ao pedir a Deus na oração modelo “venha o Teu reino” (Mateus 6:10), esse reino começa no coração. Ainda não é o reino de glória, é o reino da graça, o qual não se pode ver sem “nascer de novo” (João 3:3), nem entrar sem “nascer da água e do Espírito” (João 3:5). Por isso, é dito que não está nem aqui nem ali, “está dentro” do crente (Lucas 17:21) que se converte dos reinos mundanos a súdito do reino celestial, estabelecido pelo próprio Deus (Daniel 2:44).

2. O reino de Deus será levantado quando os reinos deste mundo forem destruídos: Tal destruição acontecerá na segunda vinda de Cristo (Apocalipse 17:14; 19:19-21); porém, só encherá toda a Terra depois de mil anos de seu início, quando o reino das trevas e todos os seus súditos forem definitivamente eliminados (Apocalipse 20:7-21) e a Terra for totalmente renovada, deixando todo vestígio do pecado e seu autor no passado (Apocalipse 21:1-5).

3. O reino de Deus enfrentará com poder aos reinos deste mundo: Isso porque os ambiciosos, orgulhosos, arrogantes, insubmissos e gananciosos líderes políticos não abrirão mão de seus planos sem lutar. Da mesma forma que a pedra impacta e esmiúça a estátua, a vitória de Cristo não será passiva, será dramática, tanto na segunda vinda (Apocalipse 19:11-18) quanto após o milênio (Apocalipse 20:1-10), tornando Jesus o grande conquistador, “Rei dos reis e Senhor dos senhores”.

APELO:

1. Se você quer estar do lado vencedor precisa hoje se submeter Àquele que será o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

2. Se você quiser fazer parte do reino eterno, indestrutível e invencível, hoje você precisa decidir ser súdito do reino da Pedra, cujo rei é Jesus Cristo.

Pr. Heber Toth Armí


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana