quinta-feira, 17 de outubro de 2019

UM BEBÊ FORA DOS PADRÕES QUE CONHECEMOS


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Lucas 1:31-36 

1. Jesus nasceria igual a um bebê, assim como nascem todos os seres humanos, mas seria especial, pois Seu nascimento seria sobrenatural.

2. Jesus nasceria após nove meses de gravidez, numa gestação normal, porém a peculiaridade e singularidade dessa criança foram descritas pelo anjo Gabriel.

3. Jesus nasceria da mesma forma como qualquer bebê, mas sua fecundação foi diferente, pois além dEle ser uma pessoa diferente, teria uma missão diferenciada.

I. O MILAGRE DO NASCIMENTO DE JESUS É ANTECIPADO POR INFORMAÇÕES EXTRAORDINÁRIAS DE UM ANJO – Lucas 1:31-32

1. O anjo Gabriel indica o nome do futuro bebê, revelando assim Sua missão especial em prol da humanidade. O nome “Jesus” significa que Ele será Salvador. Ele é o único suficiente Salvador que nos oferece realmente um futuro com esperança.

2. O anjo informa que este bebê será grande, mostrando Sua relevância no mundo. Jesus nasceu como um bebê, mas Ele já existia como um Ser divino junto ao Pai eternamente (João 1:1-3, 14). Ele seria grande por ser Deus conosco, Emanuel, que Se fez carne e habitou entre nós (Mateus 1:21-23).

3. O anjo revela que esse bebê especial será chamado Filho do Altíssimo: Tal Pai, tal Filho. Como o Pai é, assim também é o Filho. Jesus revelaria Deus Pai em carne e osso humanos. Contudo, nEle habitaria toda a plenitude da Divindade (Colossenses 2:9); consequentemente, Ele pode dizer: Quem vê a mim, também vê ao Pai (João 14:9).

II. A MISSÃO DO MIRACULOSO BEBÊ QUE NASCERIA EM NOSSO PLANETA TAMBÉM É REVELADO ANTES DE SEU NASCIMENTO – Lucas 1:32-33

1. A função de Jesus é revelada por Gabriel a Maria: “Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai”. O comentário da Bíblia Andrews explica: “Davi recebeu a promessa de um descendente poderoso cujo reinado não terá fim (2Sm 7:12, 13; Jr 23:5; comparar com Dn 7:13, 14)”. 

2. A duração de Seu reinado é também revelado:

a) Reinará para sempre sobre a casa de Jacó: “No sentido espiritual, estes incluem todos os que creem em Cristo, quer sejam judeus ou gentios (Rm 2:25-29; Gl 3:26-29; 1Pd 2:9, 10; etc.)” (Comentário Bíblico Adventista, v. 5, p. 748).

b) Seu reinado não terá fim: “As pessoas lutam por permanência e segurança; mas essas coisas nunca serão alcançadas até que Cristo estabeleça Seu reino, o qual nunca será destruído (Dn 2:44, que ‘não passará’ (Dn 7:14), que será eterno (Mq 4:7)... A promessa do Pai de que o reino de Seu Filho deveria ser ‘para todo o sempre’ (Hb 1:8) não era desconhecida para os judeus dos dias de Cristo (Sl 45:6, 7; cf. Jo 12:34)” (idem).

III. O NASCIMENTO DO FILHO DE DEUS NA TERRA RECEBEU MAIS INFORMAÇÕES DETALHADAS – Lucas 1:35-36

1. O Espírito Santo desceria sobre Maria: Esta jovem não ficaria grávida como normalmente as mulheres engravidam. Ela não teria relação sexual com homem algum. Engravidaria pela atuação sobrenatural do Espírito Santo sobre ela.

2. O poder do Altíssimo envolveria a Maria com Sua sombra: Tudo o que aconteceria a Maria seria miraculoso, sobrenatural, uma obra divina numa pecadora num mundo corrompido pelo pecado.

3. O anjo explica que, por conseguinte, Jesus seria:

a) Um Ente santo: Sobre esse detalhe, Ellen G. White afirma: “A humanidade de Cristo é chamada de ‘o ente santo’. O registro inspirado diz de Cristo: ‘Ele não pecou’, ‘Ele não conheceu pecado’ e ‘nEle não havia pecado’” (Signs of the Times, 16/01/1896).

b) O Filho de Deus: Jesus nasceu santo, não como nós que nascemos filhos da ira, da desobediência, desviando-se dos caminhos de Deus desde o ventre (Efésios 2:1-3; Salmo 58:3; 53:3; 51:5; Isaías 48:8; Gênesis 8:21). Nós precisamos tornar-nos o que Ele já nasceu: Filho de Deus (João 1:12-13).

CONCLUSÃO: 

1. O Espírito Santo fez questão de revelar a Maria e na Bíblia detalhes que facilitam nossa compreensão do plano da salvação.

a) Se Jesus é o ente santo, significa que Ele “não compartilhou da natureza humana pecaminosa” afirma Hernandes dias Lopes (Comentário Expositivo de Lucas, p. 52). Além disso, Ellen G. White é categórica: “Cristo não possuía a mesma deslealdade pecaminosa, corrupta e decaída que nós possuímos, pois então Ele não poderia ser um sacrifício perfeito” (Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 131).

b) Se Jesus não fosse o ente santo, Ele não poderia substituir o pecador, pois Ele mesmo precisaria de um substituto.

c) Se Jesus não fosse o Filho do Altíssimo, Ele não poderia reinar eternamente; pois, os reinos humanos são efêmeros e só o dEle é eterno.

2. O Espírito Santo revelou o suficiente para garantir-nos que, realmente Jesus é o Salvador; pois, Ele veio e nasceu sem pecado para viver entre os pecadores, visando libertar-nos da condenação resultante das transgressões desde o ventre materno.

3. O Espírito Santo quer mostrar-nos que a solução para nossa situação sempre foi provida por Deus de uma forma miraculosa e maravilhosa a fim de que creiamos e nos preparemos para experimentar tudo aquilo que a missão de Jesus significa para nós.

APELO:

1. Deixe que o Espírito Santo te impressione com a verdade do miraculoso e santo nascimento de Jesus.

2. Permita envolver-se com o magnífico plano da salvação a fim de que desfrutes de tudo quanto a missão de Cristo significa.

3. Deixe a verdade do plano da salvação alcançar teu coração e prover-te libertação.
Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana