sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

LIVROS LIDOS, SUBLINHADOS E ESTUDADOS EM 2017


1.       Bom Demais para Ser Verdade: Encontrando esperança num mundo de ilusões, por Michael Horton. São José dos Campos, SP: Editora Fiel, 2013. 1ª edição (206 páginas).

2.      Crônicas do Reino, organizado por Diego Barreto, Matheus Cardoso e Rodrigo Follis. Engenheiro Coelho, Unaspress, 2014. 1ª edição (200 páginas).

3.      O Plano Mestre de Evangelismo, por Robert E. Coleman. São Paulo: Mundo Cristão, 2006 (122 páginas). 

4.      Mensagens Selecionadas de Hernandes Dias Lopes, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2007. 1ª edição (327 páginas).

5.      Mensagens Escolhidas, v. 1, por Ellen G. White. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1985. 2ª edição (444 páginas).  

6.      Aprendendo a Orar, por Olmir A. Tochetto. Maringá, PR: Gráfica Maranata, 2010. 1ª edição (127 páginas).

7.      Guerra pela Verdade: Lutando por certeza numa época de engano, por John MacArthur. São José dos Campos, SP: Editora Fiel, 2008. 1ª edição (262 páginas).

8.     Consultoria Doutrinária: Seleção de Respostas sobre textos bíblicos, organizado por Wilson Sarli. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1992. 2ª edição (295 páginas).

9.      A Treliça e a Videira: A mentalidade de discipulado que muda tudo, por Colin Marshall & Tony Payne. São José dos Campos, SP: Fiel, 2015. 1ª edição (198 páginas).

10.  20 Preguntas que Dios Quiere Hacerte: Encuentros con la Deidad que cambian la vida, por Troy Fitzgerald. Florida: Asociación Casa Editora Sudamericada, 2009. 1ª edição (252 páginas).

11.   Por que confiar na Bíblia? Respostas a 10 perguntas difíceis, por Amy-Orr-Erving. Viçosa, MG: Ultimato, 2008 (144 páginas).

12.  Introdução Geral à Bíblia: Da revelação até os dias de hoje, por Emilson dos Reis. Engenheiro Coelho, SP: Unaspress – Imprensa Universitária Adventista, 2016. 4ª edição (175 páginas).

13.  Sem enigmas: Entenda as passagens mais desafiadoras do Novo Testamento, por Richard L. Litke. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2014. 1ª edição (118 páginas).

14.  O Incomparável Jesus Cristo, por Amin A. Rodor. Engenheiro Coelho, SP: UNASPRESS – Imprensa Universitária Adventista, 2011. 1ª edição (142 páginas).

15.   O Batismo do Espírito Santo: O que é? Quem precisa dele? Por que recebê-lo? por Dennis Smith. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2005. 2ª edição (159 páginas).

16.  Morte na Panela: Uma ameaça real à igreja, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2007. 1ª edição (72 páginas).

17.   Bases Bíblicas da Adoração. Organizado por Emilson dos Reis, Rodrigo Follis e Felipe Carmo. Engenheiro Coelho, SP: Unaspress – Imprensa Universitária Adventista, 2015 (Parousia, v. 3). 1ª edição (139 páginas).

18.  Meu Legado Espiritual: Uma jornada de fé na pós-modernidade, por James M. Houston. São Paulo: Mundo Cristão, 2008. 1ª edição (254 páginas).

19.  Yehoshua: Perguntas e respostas: O significado e a origem do nome de Jesus: uma abordagem histórica e bíblica, de Demóstenes Neves da Silva. Cachoeira, BA: CePLib – Salt, 2008. 1ª edição (85 páginas).

20. Teologia do Antigo Testamento, por Paul R. House. São Paulo: Editora Vida, 2005 (760 páginas).

21.  Cartas a Cristo: Remetente: Mauro Clark, por Mauro Clark. São Paulo: Mundo Cristão, 1996. 1ª edição (112 páginas).  

22. Marcado para Vencer, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Editora Candeia, 1997 (110 páginas). 

23. O Mestre dos Mestres: Jesus, o maior educador da história, por Augusto Cury, na série Análise da Inteligência de Cristo; v. 1. Rio de Janeiro: Sextante, 2006 (190 páginas).

24. O Mestre da Sensibilidade: Jesus, o maior especialista no território da emoção, por Augusto Cury, na série Análise da Inteligência de Cristo; v. 2. Rio de Janeiro: Sextante, 2006 (176 páginas).

25.  O Mestre da Vida: Jesus, o maior semeador de alegria, liberdade e esperança, por Augusto Cury, na série Análise da Inteligência de Cristo; v. 3. Rio de Janeiro: Sextante, 2006 (174 páginas).

26. O Mestre do Amor: Jesus, o maior exemplo de sabedoria, perseverança e compaixão, por Augusto Cury, na série Análise da Inteligência de Cristo; v. 4. Rio de Janeiro: Sextante, 2006 (166 páginas).
27.  A Criança, a Igreja e a Missão, por Dan Brewster. Viçosa, MG: Editora Ultimato, 2015. 1ª edição (270 páginas).

28. O Mestre Inesquecível: Jesus, o maior formador de pensadores da história, por Augusto Cury. Série Análise da Inteligência de Cristo, v. 5. Rio de Janeiro: Sextante, 2006 (192 páginas).

29. Gálatas: A carta da liberdade cristã, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2011. 1ª edição (288 páginas).  

30. O Código Bíblico do Dinheiro, por Benne Den. Ceará: Masters Divinity Center, 2009. 1ª edição (e-book, 56 páginas).

31.  Meu Deus, Meu Dinheiro e Eu, de Valter Dobelin. Niterói, RJ: Editora Ados, 2008. 2ª edição (138 páginas).

32. Se Meu Povo Orar, de Randy Maxwell. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2004 (172 páginas).

33. Dízimos e Ofertas: Uma abordagem bíblica e nos livros de Ellen G. White, de Demóstenes Neves da Silva. Guarulhos, SP: Parma, 2008. 1 edição. (Série Perguntas e Respostas, v. 1) (96 páginas). 

34. Crescendo em Graça: A resposta do coração agradecido, por Alejandro Bullón. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2017. 1ª edição (120 páginas).

35.  Conselhos sobre Mordomia, por Ellen G. White. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2001. 5ª edição (367 páginas).

36. Santo ao Senhor: Princípios de adoração financeira, organizado por Rodrigo Follis. Engenheiro Coelho, SP: Unaspress – Imprensa Universitária Adventista, 2017. 3ª edição (258 páginas).

37.  Mundanismo: Como resistir à sedução de um mundo caído, editado por C. J. Mahaney. Niterói, RJ: Tempo de Colheita, 2010 (152 páginas).

38. Falsos, Metidos e Impostores: Aonde foi parar seu verdadeiro eu?, por Brennan Menning e Jim Hancock. São Paulo: Mundo Cristão, 2008. 1ª edição (186 páginas).

39. A Caminho do Lar: Meditações diárias, por Ellen G. White. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2017. 1ª edição (396 páginas).

40. Miqueias: A justiça e a misericórdia de Deus, por Hernandes Dias Lopes. São Paulo: Hagnos, 2009. 1ª edição (171 páginas).

Considero esta lista como dicas de livros para quem gosta de ler e incentivo para quem precisa. O segredo para ler é não ter TV em casa, levantar de madrugada e aproveitar cada retalho de tempo para aprender alguma coisa com os livros! 

Pr. Heber Toth Armí

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

PRESENTES A JESUS: REAÇÃO POSITIVA FRENTE À GRAÇA DIVINA


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico: Mateus 2:1-11

1. Em uma época em que as ideologias estimulam o consumo numa sociedade capitalista, é importante parar e pensar sobre a arte de dar presentes.
2. Em uma época em que as pessoas estão presas às tradições de “amigos secretos”, “presentes de Natal” e outras coisas mais, é fundamental refletir na motivação de presentear.
3. Em uma época em que as pessoas fazem o que a maioria faz sem refletir, é essencial deixar-se moldar por conceitos e filosofias mais nobres.

a) Dar presente pode ser uma demonstração de carinho e uma valorização da pessoa presenteada; ou apenas uma demonstração de vínculo com a tradição.
b) Dar presente pode ser a materialização dos sentimentos abrigados no coração; ou apenas fruto de uma influência materialista que quase obriga ao consumo.
c) Dar presente pode ser um ato natural do amor que deseja tornar feliz o alvo de suas afeições; ou, não passa de um ato de compulsão para não ficar constrangido numa situação festiva.

I. OS PRESENTES DOS MAGOS A JESUS NOS ENSINAM PRECIOSAS LIÇÕES – Mateus 2:1-8, 11

“Os magos do Oriente eram filósofos. Faziam parte de uma grande e influente classe que incluía homens de nobre nascimento, bem como muitos dos ricos e sábios de sua nação. Entre estes se achavam muitos que abusavam da credulidade do povo. Outros eram homens justos, que estudavam as indicações da Providência na Natureza, sendo honrados por sua integridade e sabedoria. Desses eram os magos que foram em busca de Jesus” (Ellen G. White. O Desejado de Todas as Nações, p. 59).

1. A sabedoria não se submete à filosofia da maioria, nem é regida pela popular tradição secular, capitalista, materialista e/ou consumista. Ela busca a verdade, custe o que custar; e, age em harmonia com ela como fizeram os magos.
2. A sabedoria torna o sábio honrado pelas pessoas; por outro lado, ela motiva ao sábio a honrar a quem realmente merece toda honra, glória e louvor. Os magos deram honras ao menino Jesus, o Rei do Universo.
3. A sabedoria presenteia com objetivos nobres, concretos e puros. Embora eleve aos que a ela se inclinam, ela não torna sábios em arrogantes e orgulhosos. Os magos se inclinaram para adorar e presentear ao bebê Jesus com caros presentes: Ouro, Incenso e Mirra.

II. OS PRESENTES DOS MAGOS A JESUS MOSTRAM OS REAIS MOTIVOS DO CORAÇÃO – Mateus 2:9-11

“Esse país oriental abundava em coisas preciosas, e os magos não se puseram a caminho de mãos vazias. Era costume, a príncipes ou outras personagens de categoria, oferecer presentes como ato de homenagem, e os mais ricos dons proporcionados por aquela região foram levado em oferta” ao menino Jesus. Os magos, “em Belém, não encontraram nenhuma guarda real a proteger o recém-nascido Rei. Não havia a assisti-Lo nenhum dos grandes da Terra. Jesus estava deitado numa manjedoura. Os pais, iletrados camponeses, eram Seus únicos guardas”. Entretanto, “através da humilde aparência exterior de Jesus, reconheceram a presença da Divindade. Deram-Lhe o coração como a seu Salvador, apresentando então suas dádivas – ‘ouro, incenso e mirra’. Que fé a sua!” (Idem, p. 60, 63).

1. Presentear é um ato de consideração, um símbolo de reconhecimento e honra a quem realmente é digno. Os sábios ricos do Oriente sabiam quem de fato merecia tudo isso.
2. Presentear é uma ação que revela intenções do coração. É um ato externo de um sentimento interno. Os sábios do Oriente fizeram mais que presentear, eles ofertaram com dedicação, o que é uma expressão do coração a quem merece devoção.
3. Presentear a Jesus deveria ser a prioridade máxima de quem reconhece que Ele é seu Salvador. Como fizeram aqueles homens do Oriente, deveríamos empreender uma viagem ao terno coração de Jesus, a fim de entregar a Ele nosso melhor e mais valioso presente:

a) O que eu tenho de melhor para Lhe oferecer?
b) O que eu tenho de maior valor para Lhe ofertar?
c) O que eu Lhe oferecer e ofertar revelará verdadeira devoção?

III. OS PRESENTES DOS MAGOS A JESUS NOS INCENTIVA A VALORIZAR O PRESENTE DE DEUS – Mateus 2:2, 10-11

Ao ver a Jesus, os magos “reconheceram Sua divindade e, prostrando-se diante dEle, O adoraram. Este era o objetivo de sua viagem. Tinham percorrido uma enorme distância e driblado todo tipo de perigos para cultuar o Rei dos judeus. Como parte da adoração, cada um deles entregou o presente que havia trazido: ouro, incenso e mirra. O contraste entre o simples casebre onde Jesus estava e os custosos presentes dos magos era enorme” (Mario Veloso. Mateus: Comentário Bíblico Homilético, p. 46).

1. Sendo que Deus valorizou pecadores que não merecem ser valorizados, nós devemos valorizar Seu Filho imaculado que graciosa e humildemente nasceu para ser nosso Salvador, assim como fizeram os homens do Oriente.
2. Sendo que o Filho de Deus deixou o Céu – um lugar perfeito –, para viver neste mundo – um lugar corrupto –, deveríamos reconhecer que Ele merece louvor e adoração por tamanho ato de graça, assim como fizeram os sábios do passado.
3. Sendo que Jesus é o Rei dos reis, os magos se inclinaram para adorá-Lo; e, como parte da adoração, ofertaram de seus tesouros:

a) Presentear a Jesus significa reconhecer Quem Ele é: O soberano do Universo.
b) Presentear a Jesus é um ato de demonstração de Quem é Jesus para quem O presenteia: O Salvador pessoal.
c) Presentear a Jesus não é toda a adoração, é apenas uma centelha dela: Demonstra uma reação positiva ao gracioso plano de salvação.

CONCLUSÃO:

1. No Natal, geralmente recebemos presentes e/ou damos presentes; porém, nos esquecemos de presentear a Jesus. Teria Ele deixado de ser importante?
2. No Natal, as pessoas investem em diversos tipos de presentes para diversos tipos de pessoas, mas o presente de Jesus é ignorado. Teria Ele deixado de ter valor para a humanidade?
3. No Natal, se gasta demasiado dinheiro com presentes caros para pessoas que não fazem e jamais farão o que Jesus fez graciosamente por amor a nós. Não deveríamos abrir nossos tesouros para presenteá-lO com a dignidade que Ele merece e adorá-lO com todo nosso coração?

APELO:

1. Reconheça quem é Jesus e o que Ele representa especialmente para você; então, se entregue a Ele.
2. Separe uma oferta especial ao Rei Jesus em qualquer época do ano, especialmente no Natal, quando se comemora Seu nascimento.
3. Louve e adore a Jesus, que nasceu neste mundo e morreu numa cruz, para ofertar salvação a todos os que são alvos da condenação pela prática do pecado.
Pr. Heber Toth Armí

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

VANTAGENS PROCEDENTES DO SERVIÇO FIEL A DEUS


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Malaquias 3:13-4:3

1. Vivendo num ambiente permeado pelas agruras resultantes do pecado parece não ter sentido servir a Deus; a prosperidade do ímpio e o sucesso do perverso parecem sufocar os privilégios de ser fiel a Deus.

2. Vivendo entre religiosos hipócritas, em meio a crentes que desonram a Deus professando uma coisa mas fazendo outra, sofrendo injustiças e rejeição até mesmo dentre os cristãos, parece não valer a pena servir a Deus.

3. Vivendo com dificuldades, e grandes desafios para manter viva a fé, parece melhor erguer a voz para questionar se ainda é útil servir a Deus.

a) Parece que o verdadeiro cristianismo está em declínio.
b) Parece que o remanescente fiel diminui em número em vez de aumentar.
c) Parece que a igreja é mais influenciada pelo mundo do que influencia ao mundo.
d) Parece que a obra missionária perde a força com o passar dos dias.
e) Parece que os membros de igreja só são convencidos, mas não convertidos.
f) Parece que os caloteiros, fraudulentos, corruptos, sonegadores, subornadores, adúlteros, desonestos, imorais, perversos, injustos e incrédulos estão prosperando e vivem contentes...
g) Parece que estamos servindo a Deus em vão... não é?

Israel teve coragem e a ousadia para perguntar (Malaquias 3:13-15), e Deus teve a gentileza de responder (Malaquias 3:16-4:3).

I. VANTAGENS NO PRESENTE, NA IGREJA – Malaquias 3:16

1. Os que servem genuína e fielmente a Deus vivem em comunhão uns com os outros, fortalecendo-se mutuamente (v. 16).

2. Os que prezam pela verdadeira espiritualidade são atendidos pelo Senhor. Suas orações não apenas chegam ao céu, mas retornam respondidas para a Terra (v. 16).

3. Os que se lembram do nome do Senhor têm o nome no livro de memórias do Céu (v. 16).

a) Muitos servos de Deus não são reconhecidos nem honrados no mundo, porém, jamais são ignorados ou desprezados no Céu.
b) Muitos que atualmente servem a Deus o fazem no anonimato, mas estão sendo observados pelo Céu, que está atento à vida do fiel.
c) Muitos dos que temem e servem a Deus não possuirão seu nome num livro de história, por mais importantes que sejam seus atos de bravura; entretanto, possuem o privilégio de terem seus nomes no livro memorial do Soberano do Universo. 

II. VANTAGENS NO FUTURO PRÓXIMO, NO DIA DO JUÍZO – Malaquias 3:17-18 

1. Os justos serão considerados tesouro particular e propriedade especial de Deus.

2. Os justos serão poupados com amor e bondade pela misericórdia de Deus quando a ira contra o pecado for manifestada no mundo.

3. Os justos terão a alegria de ver as vantagens, privilégios e recompensas por servirem fielmente a Deus: 

a) Ainda que os servos de Deus não tenham uma maravilhosa experiência neste mundo tomado de trevas pelo pecado, certamente terão muitas alegrias após serem absolvidos no dia do juízo.
b) Ainda que a presente sociedade orgulhosa, corrupta e opressora traga desgostos aos servos de Deus, caso permaneçam fieis terão um futuro maravilhoso, esplendoroso e glorioso.

III. VANTAGENS NA ETERNIDADE, QUANDO A TERRA FOR RESTAURADA APÓS O MILÊNIO – Malaquias 4:1-3

1. Os servos tementes a Deus verão a ruína total dos ímpios, cujo caráter está manchado pela:

a) Soberba: Os orgulhosos, arrogantes e soberbos serão humilhados, derrotados e consumidos.
b) Perversidade: Os perversos, cruéis e ímpios serão queimados como parte inútil dos grãos (palhas secas), em fornalhas ardentes.

2. O remanescente fiel, independente de ser um número pequeno, será:

a) Coberto pela justiça de Cristo, o que iluminará a vida e curará as feridas causadas pelos pecados; esse momento será como um lindo amanhecer de um novo e radiante dia que nunca terá fim.
b) Possuído de alegria exuberante a tal ponto de correr e saltar como bezerros em privilegiada liberdade.

3. Os salvos terão vida eterna, enquanto os ímpios nunca mais existirão (4:3). Pisar às cinzas dos ímpios significa que a mesma Terra em que o fogo a purificará de todos os males, será restaurada para o povo que for fiel no serviço a Deus (ver Apocalipse 20:7-21:8; II Pedro 3:7-14).

CONCLUSÃO:

1. Quem teme ao Senhor e é fiel ao Seu serviço tem valor para Deus que o estima e está atento a tudo o que experimenta durante sua trajetória nesta vida; e, então recompensará a fidelidade quando condenar a impiedade.

a) Aqueles que servem a Deus de forma desinteressada serão recompensados.
b) Aqueles que servem a Deus egoisticamente pensando em tirar vantagens serão decepcionados.
c) Aqueles que não servem a Deus terão o mesmo destino daqueles que O servem incorretamente, por motivos errados.

2. Quem teme a Deus no presente logo verá, no futuro, a inutilidade de ensoberbecer-se, tentar ao Senhor e praticar o mal. Ainda que haja certa riqueza e prosperidade na perversidade, no futuro tudo isso será inútil; certamente o fogo consumirá os impenitentes com toda sua vanglória.

3. Quem teme a Deus na atualidade já experimenta algumas vantagens; contudo, é no futuro que os benefícios serão plenos, abundantes e absolutos. Isso se dará quando Deus erradicar completamente o mal pela raiz.

APELO:

1. Caso você seja fiel a Deus, persevere na fidelidade ainda que tudo neste mundo conspire contra tua fé.
2. Caso você não queira ser fiel no servir a Deus, entenda como será o destino dos que preferem servir ao pecado.
3. Se você ainda não é fiel, mas almeja ser, tome a decisão de servir integramente a Deus ainda que as vozes do perverso, do orgulhoso e do incrédulo pareçam cheias de razão.
Pr. Heber Toth Armí

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

ANTÍDOTO CONTRA O DESÂNIMO


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico Principal: Salmo 3:1-8

1. A existência humana enfrenta situações que abatem a alma até do indivíduo mais forte. O filho de Davi intentava usurpar-lhe o trono.
2. A vida neste mundo é marcada por dissabores que amargam a alma até das personalidades mais resistente. Após duas noites fugindo de Absalão, Davi ficou desalentado (II Samuel 15:13-17:24).
3. A vida pautada por grandes desafios pode piorar quando parece ter chegado ao limite. Além da afronta de seu filho, a maioria do povo de Deus se uniu a Absalão na rebelião contra Davi (II Samuel 15:6, 13).

a) Como lidar com frustrações antes que elas nos derrubem?
b) Como vencer as decepções antes que elas nos vençam?
c) Como derrotar o desânimo antes que eles nos derrotem?

I. OS PROBLEMAS APARECEM, PRECISAMOS IDENTIFICÁ-LOS E APRESENTÁ-LOS A DEUS – Salmo 3:1-2

1. Para contar os problemas a Deus é preciso identificá-los.
2. Para identificar os problemas é preciso discernimento, percepção e avaliação.
3. Para contar os problemas a Deus é preciso ter comunhão com Ele através da oração.

a) Nossas necessidades devem nos conduzir a Deus.
b) Nossas limitações devem produzir inúmeras orações.

II. O DESÂNIMO APARECE, PRECISAMOS PERCEBÊ-LO PARA ENTÃO COMBATÊ-LO COM AUXÍLIO DIVINO – Salmo 3:3-6

1. Confrontamos o desânimo quando relembramos quem Deus é: Protetor, Sustentador, Provedor, Motivador, Atencioso e Bondoso.
2. Lutamos contra o desânimo quando clamamos a Deus até obter respostas dEle.

a) Seguindo estes pontos, é possível repousar e dormir confiante que Deus sustenta em meio aos problemas da existência.
b) A confiança em Deus ofusca e abafa o medo referente aos perigos que nos assaltam de todos os lados.

III. A SALVAÇÃO É CERTA PARA AQUELE QUE COLOCA TUDO NAS MÃOS DE DEUS DIANTE DAS SITUAÇÕES DESANIMADORAS – Salmo 3:7-8

1. Após deitar e dormir confiando em Deus, quem quer vencer o desânimo deve levantar-se com Deus almejando a salvação.
2. Após levantar-se com Deus é preciso clamar por Sua proteção, cuidado e direção para enfrentar os desafios do dia.
3. Após dormir e acordar colocando Deus em primeiro lugar, é imprescindível louvá-lO e adorá-lO por ofertar salvação e derramar-nos Suas bênçãos.

CONCLUSÃO:

1. O aspecto mais importante do Salmo 3 não é o sofrimento, nem as decepções ou o desânimo, mas a salvação. Quando se entende a salvação pela graça é mais fácil suportar todo tipo de desgraça. Davi era um caso perdido para muita gente:

a) Seus pecados eram grandes (adultério, assassinato, etc.) o que lhe renderam sérios problemas (II Samuel 11:1-12:12).
b) Apesar do seu arrependimento e do perdão de Deus, Davi enfrentava graves problemas familiares – causadores de grandes sofrimentos (II Samuel 12-14).
c) A situação chegou a tal ponto de as pessoas declararem que não havia mais salvação (solução) para Davi (Salmo 3:2).

2. Em qualquer situação, no fundo do poço, colhendo as mais terríveis consequências do pecado, é possível experimentar a graça e a satisfação resultantes da salvação – o efeito disso é mais potente para combater o desânimo do que qualquer medicamento ou sessão de psicologia ou psiquiatria:

a) Ao conhecer a Deus e O buscar rapidamente (v. 1) o foco precisa estar na urgência da salvação (v. 7). O salvo pertence a Deus, o qual age como quiser e nada nem ninguém O impede de cuidar dos Seus.
b) Ao buscar a salvação em Deus, as bênçãos certamente virão independente da situação trazendo alívio a qualquer angustiado coração (v. 8).

3. A vitória é certa para todo aquele que confia inteiramente a Deus suas preocupações e ansiedades. Após orar e confiar, Deus agiu e o usurpador do trono foi derrotado, e Davi foi restaurado ao trono do povo de Deus a fim de abençoá-lo.

APELO:

1. Não há melhor antídoto contra o desânimo do que uma sólida confiança em Deus; então, confie nEle de todo teu coração!
2. Não há melhor forma de vencer o desânimo do que colocar os problemas nas mãos de Deus e confiar que Ele sabe o que é melhor; então, faça isso!
3. Não há melhor resultado para a alma aflita do que experimentar a certeza da salvação oferecida por Deus através de Cristo Jesus; então, busque imediata e intensamente por essa salvação e viverás feliz e em paz!
Pr. Heber Toth Armí

Postagens mais acessadas nesta semana