segunda-feira, 12 de junho de 2017

DEUS CANTA ALEGREMENTE BELAS MÚSICAS DE AMOR!


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Sofonias 3:17

1. Deus não é carrancudo, triste, frio e indiferente diante de Seu povo.
2. Deus é alegre, e vários textos bíblicos declaram isso. Veja alguns:

a) “... porquanto o Senhor tornará a alegrar-se em ti para te fazer bem, como se alegrou em teus pais...” (Deuteronômio 30:9, NVI).
b) “Porque o Senhor se alegra com o Seu povo. Ele recompensará os humildes, dando-lhes salvação” (Salmo 149:2 [4], o Livro). A NTLH diz: “O Senhor está contente com Seu povo...”.
c) “Eu ficarei contente com Jerusalém, e o Meu povo Me encherá de alegria...” (Isaías 65:19, NTLH). A Bíblia de Jerusalém traduz assim: “Sim, regozijar-Me-ei em Jerusalém, sentirei alegria em Meu povo”.
d) Assim como o Antigo, o Novo Testamento oferece-nos vários textos que revelam satisfação e alegria de Deus, veja Lucas 15:5-6, 23-24, 32; João 15:11.
3. Deus Se alegra e canta, e não há melhor texto para esclarecer isso como Sofonias 3:17:

a) Na Nova Versão Internacional: “O Senhor, o seu Deus, está em seu meio, poderoso para salvar. Ele Se regozijará em você, com Seu amor a renovará, Ele Se regozijará em você com brados de alegria”. 

b) Na Nova Tradução na Linguagem de Hoje:

“Pois o Senhor, seu Deus, está com vocês;
Ele é poderoso e o salvará.
Deus ficará contente com vocês
E por causa de Seu amor Lhes dará nova vida.
Ele cantará e se alegrará,
Como se faz num dia de festa”.

c) Na paráfrase A Mensagem:

“Seu Eterno está presente entre vocês,
O Guerreiro forte pode salvá-la.
Feliz por você ter voltado, Ele irá acalmá-la com Seu amor
E alegrá-la com Suas belas canções”.

I. DEUS AMA AOS SERES HUMANOS – Sofonias 3:17

Por amar aos seres humanos, Deus:
1. Se aproxima deles para estar bem junto, no meio deles.
2. Se apresenta como o Guerreiro poderoso deles para lhes proteger.
3. Faz de tudo para libertá-los e salvá-los:

a) De inimigos e outras ameaças que promovem medo e angústia.
b) De situações deprimentes, opressoras e repressoras.
c) Do pecado e de todas as suas terríveis consequências e desgraças.

II. DEUS SE ALEGRA COM OS PECADORES – Sofonias 3:17

1. Deus Se alegra por amar aos pecadores e estar na companhia deles.
2. Deus Se empolga alegremente e vibra com o sucesso dos pecadores:

a) Quando eles aprendem o quanto carecem de Seu amor e graça.
b) Quando eles se arrependem de seus pecados e voltam para Ele.
c) Quando eles permitem que Ele opere com Seu poder em sua vida.
d) Quando eles recebem positivamente a vida, o amor e o perdão oferecidos por Ele.
e) Quando eles são libertos da situação deprimente, opressora e repressora causada pelo pecado.

III. DEUS CANTA PARA OS SALVOS – Sofonias 3:17

1. O amor de Deus por Seu povo enche Seu coração de alegria pelo simples fato de Ele estar presente no meio de pecadores que se rendem a Ele – isso O motiva a cantar!
2. O amor de Deus ligado à alegria é tão empolgante a tal ponto de levar o Soberano do Universo a cantar entusiasticamente.
3. Deus compõe e canta belíssimas canções para pecadores, quando estes se arrependem de seus pecados e aceitem Seu plano de salvação elaborado com infinito e divino amor.

CONCLUSÃO:

1. Deus ama os seres humanos, por isso Se dedica ao máximo para resgatá-los das terríveis consequências causadas pelos pecados: “A mais bonita e encorajadora imagem de Deus no livro de Sofonias é apresentada no capítulo 3:17, que resume bem as atividades únicas de Deus por Seu povo fiel [...]. Deus nos fala em Sua linguagem de amor, assim como um pai, com toques amorosos, beijos e palavras gentis, acalma um filho que está aflito, chorando, com medo e decepcionado, até que ele fique tranquilo e durma em seus braços, confiando e descansando nesse amor. Da mesma forma, Deus dá a Seus filhos a certeza de que eles estão seguros e protegidos em Seu amor e, assim, Ele nos acalma” (Zdravko Stefanivic, Lição da Escola Sabatina, abril-junho, 2013, p. 115).

2. Deus se alegra quando vê pecadores aderindo aos Seus amorosos propósitos: Quando pecadores passam a servir a Deus e a adorá-lO, o próprio Deus fica satisfeito; por isso Ele “é retratado numa atividade incomparável (nunca mais mencionada em todo o Antigo Testamento): Ele está regozijando sobre Seu povo com alegria” (Jiri Moskala, Teologia e Metodologia da Missão, p. 50).

3. Deus canta alegremente quando seres humanos O servem integralmente: “Aquele que mais se aproxima da perfeição da divina benevolência de Cristo causa alegria entre os anjos celestiais. O Pai se regozija a seu respeito com cânticos; pois, acaso, não está trabalhando no Espírito do Mestre, sendo um com Cristo assim como Ele é um com o Pai?” (Ellen G. White, Fundamentos da Educação Cristã, p. 480).

APELO:

1. Sendo que você é alvo do amor de Deus, deixe-O agir em tua vida para te libertar de tudo aquilo que te impede viver de verdade para, então, guiar-te para a verdadeira felicidade.
2. Sendo que Deus se alegra em você quando permites que Ele te liberte, te guia e salva para que O sirvas e O adore com entusiasmo e satisfação, não rejeite Sua presença. Seja motivo de maior alegria para Ele entregando-se a Ele e a Seu serviço.
3. Sendo que Deus canta com empolgação ao vibrar com teu sucesso em Seus elevados e maravilhosos planos, prepare-se para vê-lO cantar lá no Céu quando os fieis forem levados para estar continuamente na presença divina.

Pr. Heber Toth Armí

quarta-feira, 31 de maio de 2017

NOSSA CRENÇA SOBRE NOSSA ORIGEM FAZ TOTAL DIFERENÇA


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: Gênesis 1:24-31

1. Alguns acham que crença não interessa e teorias não importam; entretanto, certamente, naquilo que você crê faz total diferença em teus propósitos e atitudes.
2. Saber que você veio das mãos de Deus, projetado à imagem e semelhança de Deus, colocado num ambiente preparado por Deus, revelará um valor que a crença na teoria da evolução nunca fará.

a) Se você veio do nada, qual é teu valor?
b) Se você é fruto de uma explosão, qual é teu valor?
c) Se você é resultado do acaso sem planejamento, qual é teu valor?

3. Sendo que não se pode provar a origem do mundo em laboratório, o criacionismo e a evolução são teorias. Todavia, evidências de planejamento, organização e intenção nos detalhes do relato da criação aguçam nosso discernimento quanto ao nosso valor.

I. A CRIAÇÃO FOI PROJETADA PARA BENEFÍCIO DA RAÇA HUMANA – Gênesis 1:24-26, 29-30

1. Os seres humanos foram feitos somente após Deus ter concluído a criação de todos os vegetais, animais e astros e, então colocados em seus devidos lugares para benefício do ser humano.
2. Os seres humanos foram criados por último porque tudo que era vital a eles deveria estar concluído:

a) Os animais selváticos, os répteis (e, os aquáticos do quinto dia) para encher de prazer os olhos de quem os via e, as aves (do quinto dia) com seus cânticos para satisfazer aos ouvidos de quem ouvia.
b) Os animais domésticos para o benefício dos humanos.
c) As plantas que produziriam o alimento às criaturas viventes, inclusive os humanos.
d) A água, a terra, o sol, a atmosfera, etc.

3. O ambiente deveria estar perfeitamente preparado para receber as mais especiais criaturas de Deus; O qual fez tudo pensando na alegria e satisfação dos seres que seriam o auge da criação: Os humanos.

II. A CRIAÇÃO DOS SERES HUMANOS REVELA SUA IMPORTÂNCIA ELEVADA – Gênesis 1:26-27, 31

1. Deus fez uma convocação solene aos seres divinos antes de criar os seres humanos:

a) O Espírito Santo estava presente (Gênesis 1:2; Jó 33:4; Salmo 104:29-30).
b) Jesus estava presente (João 1:1-3; Colossenses 1:16-17; Hebreus 1:1-3).
c) Deus Pai, estava presente (Gênesis 1; Isaías 64:8; Marcos 10:6).

2. Deus criou tanto o homem quanto a mulher à imagem e semelhança dEle, não só o homem, mas também a mulher teve altíssimo privilégio outorgado com exclusividade à raça humana.
3. Deus colocou Suas mãos na massa na criação dos humanos:

a) Deus não disse: “Haja seres humanos”.
b) Deus disse: “Façamos...”. Isso revela elevadíssima importância e altíssimo valor dos seres humanos.
c) Somente a partir daí, o conjunto do que era “bom” (vs. 10, 12, 18, 25), foi avaliado pelo próprio Deus como “muito bom” (v. 31).

III. A CRIAÇÃO DESTINADA À SUJEIÇÃO HUMANA EVIDENCIA GRANDES VERDADES – Gênesis 1:28

1. Deus abençoa ao homem e à mulher para serem Seus representantes no cuidado e administração do novo Planeta habitável.
2. Deus privilegia aos seres humanos tornando-os governadores sobre toda a criação, superiores até mesmo aos enormes animais e árvores gigantescas.
3. Deus concede responsabilidade devido à tamanha capacidade que os seres humanos foram dotados. Homem e mulher deveriam:

a) Frutificar.
b) Multiplicar.
c) Encher a Terra.
d) Sujeitar a Terra.
e) Dominar sobre todos os seres vivos.

4. Deus poderia ter enchido o mundo de gente como fez em relação às plantas e aos animais, mas preferiu criar apenas um par de pessoas e colocá-lo para governar; indicando, assim, imenso valor físico, mental e espiritual da raça humana.

CONCLUSÃO:

1. Para nenhuma outra parte da criação Deus convoca solenemente à presença da Trindade para um conselho ou conferência, como fez na criação dos seres humanos.
2. Para nenhuma feitura de outra criatura Deus usou o verbo “façamos”, exceto ao criar os seres humanos. Isso denota intimidade entre seres humanos e seres divinos.
3. Nenhuma outra criatura foi feita a imagem e semelhança do Soberano do Universo, exceto os seres humanos; os quais os tornam representantes da divindade no mundo.
4. Nenhuma outra criatura recebeu instruções para exercer sabedoria, inteligência e regência como os seres humanos. Deus confiou no homem e na mulher e designou-lhes privilegiadas responsabilidades. 

APELO:
1. Prefira ser avaliado e avaliar-se pela cosmovisão bíblica de criação e origem de nosso Planeta.
2. Permita que a visão da criação bíblica determine o teu, o meu – o nosso valor – como seres humanos.
3. Persiga o propósito pelo qual Deus te criou, e, com responsabilidade, represente Seu caráter com a graça de Cristo e o poder do Espírito Santo.
Pr. Heber Toth Armí

sexta-feira, 12 de maio de 2017

PRINCÍPIOS PARA INCOMPATIBILIDADE CONJUGAL RELIGIOSA


INTRODUÇÃO: Texto bíblico principal: I Pedro 3:1-7

Precisamos ter em mente alguns pontos antes de adentrarmos propriamente no texto em tela:

1. No lar é lugar mais difícil de exercer o cristianismo; entretanto, é aí onde mais é necessário viver os princípios do evangelho.
2. Deus é determinantemente contra casamentos mistos (jugo desigual, ver II Coríntios 6:14-16). O texto não trata disso, mas de quando um dos cônjuges se converte e o outro não.
3. Deus também é contra o divórcio (ver Malaquias 2:16), por isso não abre espaço para um dos cônjuges abandonar o casamento devido à incredulidade e rejeição ao evangelho por parte do outro.
4. O texto fala mais amplamente às mulheres (vs. 1-6) do que aos homens (v. 7); isso deve-se a que as mulheres, geralmente, enfrentaram (ainda enfrentam) mais dificuldades para atrair o marido a Cristo do que o marido em atrair a esposa.
a) Os riscos de conversão eram/são maiores às esposas do que aos maridos (v. 6).
b) As ameaças eram/são mais intensas para com as esposas pelos maridos do que delas para com eles (v. 6).

I. PRINCÍPIOS PARA A ESPOSA CRENTE COM MARIDO DESCRENTE – I Pedro 3:1-6

1. A esposa crente que deseja a salvação do marido incrédulo deve seguir padrões bíblicos quanto ao seu papel, não diretrizes e exemplos de filmes, novelas e revistas desprovidos de princípios divinos.

a) Deve-se investir no caráter segundo o padrão evangélico.
b) Deve-se trajar de um espírito manso, ser paciente.
c) Deve-se transbordar tranquilidade, confiança.

2. A esposa que deseja ganhar o marido para Cristo deve imitar a piedade das mulheres de Deus, não a moda (modismos) e o estilo do mundo.
3. A esposa cristã ansiosa pela salvação do marido deve ser mais dedicada em formar o caráter e ser piedosa desde o íntimo, em vez de gastar tempo em salão de beleza exterior, recursos com adornos efêmeros e, dinheiro em roupas luxuosas.

II. PRINCÍPIOS PARA MARIDO CRENTE COM ESPOSA DESCRENTE – I Pedro 3:7

1. O marido cristão deve exercer seu papel bíblico dentro do lar colaborando nas atividades domésticas e, provendo as necessidades físicas e materiais em casa. Maridos devem saber que...

a) A mulher é mais sensível e fisicamente mais frágil, como um vaso delicado.
b) A mulher é criatura de Deus e tem direito à vida e à graça divina.
c) A mulher é tão importante para Deus que maltratá-la interrompe orações.

2. O marido crente deve ser sensível às necessidades emocionais e mostrar respeito a sua esposa e, protegendo-a como é nobre ao homem casado.

a) Não deve ser frio, grosseiro, estúpido, rude.
b) Não deve ser indiferente, autoritário, crítico, tirano.
c) Deve ser educado, amável, compreensível, bondoso.
d) Deve respeitar, honrar e valorizar sua esposa.

3. O marido convertido deve orar a Deus pela esposa, mas tal oração só é válida caso suas atitudes para com ela forem pautadas pelo legítimo evangelho.

III. PRINCÍPIOS GERAIS AOS CÔNJUGES CRENTES – I Pedro 3:1-7 

1. A esposa e o marido cristãos devem ser mais comprometidos em seus votos matrimoniais após demonstrar publicamente seus votos batismais, mesmo que seu cônjuge ainda não se converteu.
2. A esposa e o marido cristãos cujos cônjuges ainda sejam descrentes devem pautar seus papeis matrimoniais pelos princípios bíblicos próprios aos verdadeiros cristãos.
3. A esposa e o marido devem ter intenções missionárias evangelísticas em casa, porém devem dar ênfase numa demonstração comportamental em detrimento de enfadonhas persuasões verbais.

CONCLUSÃO:

1. Deus não vê o divórcio como solução para problemas relacionados à incompatibilidade religiosa; Ele vê o evangelho na prática exercendo influência, como a solução para tais problemas.
2. Deus vê as dificuldades de um lar divido após a conversão de um dos cônjuges; por isso, incentiva o cônjuge convertido a deixar-se moldar pelo evangelho, a fim de exercer poderosa e impactante influência no casamento.
3. Deus revela o que Ele avalia num homem e numa mulher casados; Ele mostra o que realmente tem valor e importância, Ele sabe o que é essencial num lar onde só um dos cônjuges aceita arrepender-se.

APELO:

1. Não se apegue às avaliações matrimoniais de pessoas desprovidas de instruções divinas.
2. Não invista em coisas, estratégias e dicas supérfluas em relação ao casamento.
3. Não deixe de assimilar em tua vida um comportamento digno do título “cristão”, inclusive na convivência conjugal.

a) Faça o que é certo e confie em Deus!
b) Faça o que Deus pede e deixe o resultado com Ele!
c) Faça o que Deus orienta e Ele cuidará do resto!

 Pr. Heber Toth Armí

terça-feira, 25 de abril de 2017

O QUE NOS DIZEM OS LIVROS PERDIDOS CITADOS NA BÍBLIA?


INTRODUÇÃO:

1. Você sabia que existem vários livros mencionados na Bíblia que não existem mais?
2. Você já notou que a Bíblia faz alusão ou faz citação de livros desconhecidos?
3. Você percebeu que vários autores bíblicos fizeram referência a livros perdidos?

São 23 nomes diferentes:

1. Livros das Batalhas do Senhor (Números 21:14);
2. Livro dos Justos ou Jasar (Josué 10:13; II Samuel 1:18);
3. História de Salomão ou dos Atos de Salomão (I Reis 11:41);
4. História dos Reis de Israel (I Reis 14:19; etc.);
5. História dos Reis de Judá (I Reis 14:29; etc.);
6. Livro dos Reis de Israel (I Crônicas 9:1; II Crônicas 20:34);
7. Crônicas do Profeta Samuel (I Crônicas 29:29; I Samuel 10:25);
8. Crônicas do Profeta Natã (I Crônicas 29:29);
9. Crônicas do Profeta Gade (I Crônicas 29:29);
10. História do Profeta Natã (II Crônicas 9:29);
11. Profecia de Aías, de Siló (II Crônicas 9:29);
12. Visões do Profeta Ido (II Crônicas 9:29);
13. História do Profeta Semaías e História do Profeta Ido (II Crônicas 12:15);
14. História do Profeta Ido (II Crônicas 13:22);
15. História dos Reis de Judá e de Israel (II Crônicas 16:11);
16. História dos Reis de Israel – Crônicas de Jeú (II Crônicas 20:34);
17. Livro da História dos Reis (II Crônicas 24:27);
18. Atos de Uzias escritos pelo profeta Isaías (II Crônicas 26:22);
19. História dos Reis de Israel e de Judá (II Crônicas 27:7);
20. Visão do Profeta Isaías (II Crônicas 32:32);
21. História dos Reis de Israel (II Crônicas 33:19);
22. História dos Profetas ou dos Videntes (II Crônicas 33:19);
23. Livro de Registro ou das Crônicas (Neemias 12:23).

Destes 23 livros citados com nomes diferentes, alguns podem ser os mesmos, diferenciando apenas na forma em que foi citado. Mas, o que mais importa é saber o que eles têm a ver conosco hoje. Eles nos levam a entender que...

I. A BÍBLIA NÃO É UM APANHADO DE TODOS OS DETALHES HISTÓRICOS

1. Os livros desaparecidos citados na Bíblia são mais antigos que os textos que os mencionam.
2. Os livros desaparecidos são base para confirmar o que está sendo dito como prova de um evento histórico; eram documentos oficiais do governo, registros políticos, portanto, fidedignos.
3. Os livros desaparecidos eram mais abrangentes com maiores detalhes do que na Bíblia; porém, as informações citadas na Bíblia são mais relevantes para nossa compreensão de Deus, do plano da salvação e de como a história está sob a regência divina.

II. A BÍBLIA É BEM SELETIVA QUANTO ÀS INFORMAÇÕES QUE OS PECADORES PRECISAM

1. As breves informações históricas na Bíblia demonstram que Deus não Se perde e não quer que nos percamos em meio às informações irrelevantes.
2. As breves informações sobre acontecimentos históricos na Bíblia revelam que Deus permitiu que entrasse somente o essencial da história para transmitir verdades aos leitores ou ouvintes de Seu povo.

a) Na Bíblia temos o mais importante extraído daquilo que é importante.
b) Na Bíblia encontramos o essencial do essencial.
c) Na Bíblia nos deparamos com o suprassumo dos assuntos que precisamos conhecer. 

3. As breves histórias bíblicas demonstram que precisamos valorizar Sua mensagem mais do que a valorizamos (II Timóteo 3:14-17).

III. A BÍBLIA CONTÉM A MENSAGEM PRECISA QUE DEUS QUER NOS COMUNICAR

1. A Bíblia é mais que um livro de História, é a Palavra de Deus para a História.
2. A Bíblia é mais que um livro de Biografias, é a Palavra de Deus para construir nossa biografia.
3. A Bíblia não é um livro comum, ou escritura qualquer, é a mensagem singular, divina e miraculosa que Deus quer nos comunicar a fim de nos salvar da condenação do pecado.

CONCLUSÃO: 

1. Os livros citados na Bíblia que estão perdidos podem nunca serem achados, pois a nação conquistadora de um povo destruía todos os registros do mesmo para garantir que não se levantasse jamais.

a) Embora haja livros perdidos na Bíblia, nenhum livro se perdeu daqueles que Deus quis preservar.
b) Embora muitos livros se perderam na história devido a inúmeros motivos (tempo, guerras, catástrofes, acidentes, etc.), Deus não deixou a Bíblia se perder, pois necessitamos dela mais do que de qualquer outro livro escrito e publicado.

2. Os livros perdidos mostram-nos que, apesar de muitos livros terem sido completa ou parcialmente destruídos, a Bíblia foi preservada pelos séculos dos séculos, ainda que ela sempre fora o alvo das mais ferrenhas perseguições.
3. Os livros perdidos nos passam a mensagem que, se Deus não preservasse a Bíblia, seus oponentes a teriam eliminado assim que ela fosse escrita, ou teria se desfeito com o tempo.

APELO:

1. Valorize a Bíblia mais do que já a tenhas valorizado, ela é a Palavra de Deus.
2. Valorize mais a mensagem de Deus para ti do que tens feito na prática.
3. Valorize mais o conteúdo da Bíblia do que o conteúdo de qualquer outro livro.

Pr. Heber Toth Armí.

Postagens mais acessadas nesta semana