segunda-feira, 21 de abril de 2014

EMBRIAGUEZ, ZOMBARIA E FOFOCA ATRAEM MALDIÇÃO


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico principal: Gênesis 9:20-29

1. Após o dilúvio a vida continuaria por meio da família de Noé, o construtor da arca.
2. Após a aliança de Deus com Noé, o texto revela que a natureza humana continuava pecaminosa.
3. Após o livramento e a aliança divina ficou evidente que os humanos continuavam errando e por isso deveriam ser dependentes da graça e misericórdia do Céu. 

I. PEQUENOS ERROS ACARRETAM GRANDES PROBLEMAS PARA A VIDA – Gênesis 9:20-22, 24-25, 27-29

Um erro por menor e insignificante que seja, resulta em sérios problemas: Noé, no fim da vida, ao embriagar-se, atraiu a desgraça a sua casa; Cam, ao compartilhar o erro de seu pai, trouxe maldição a sua posteridade.

1. O que aprendemos com o erro de Noé? Mesmo após fazer grande obra para Deus e comprometer-se com Ele, descuidar da graça divina leva a erros terríveis – Noé embriagou-se e despiu-se no meio de sua tenda. A integridade na vida de um servo de Deus não é garantia contra o pecado. O desequilíbrio na vida espiritual derruba qualquer grande homem acarretando desonra e vergonha.
2. O que aprendemos do erro de Cam? Antes de responder esta pergunta é preciso saber qual erro ele cometeu. Na verdade, se destacam dois erros: omissão e gozação (fofoca, desrespeito, humilhação, lascívia, vulgaridade, obscenidade, banalização). Sem respeito para com seu pai, ao invés de cobri-lo (omissão), saiu e contou aos seus irmãos (gozação), ridicularizando-o. Assim, diante de um escândalo cometido por alguém, o importante não é divulgar o ocorrido; este erro é pior que aquele.
3. Aplicações: Ninguém está livre de cometer erros, nem mesmo a pessoa mais consagrada, espiritual e temente a Deus como Noé. Portanto, é bom compreender que é uma atitude condenável expor as misérias de quem errou. Nunca se deve aproveitar da situação vergonhosa de ninguém, por mais vergonha que traga a atitude de quem errou. Pois, falar do erro dos outros é pior que cometê-los, e atrai terríveis maldições.

II. PEQUENOS ACERTOS RESULTAM EM GRANDES BÊNÇÃOS PARA A VIDA – Gênesis 9:23, 26-27

Uma atitude correta, por menor ou insignificante que pareça, resolve muitos problemas, promove a justiça e atrai preciosas bênçãos onde poderia surgir maldição. Sem a Jafé deixaram um valioso legado às gerações pós-diluvianas.

1. O que podemos aprender do acerto de Sem e Jafé? Ao ouvir as palavras do irmão sobre a situação do pai, ambos foram de costas e cobriram sua nudez. Cobrir a desgraça de pecadores é ato da graça divina nos pecadores. “Ainda que podemos justificar o pecado, temos de examinar a nós mesmos humildemente, identificarmos com o pecador de forma compreensiva, exortar com amor e procurar em forma redentora cobrir a nudez do pecador” (Arthur J. Ferch).
2. O que podemos aprender das bênçãos de Noé a Sem e Jafé? Pequenas atitudes corretas sobre o erro dos outros acarretam preciosas e grandes bênçãos. Maldições que poderiam se estender a futuras gerações – como aconteceu com Noé e Cam e atingiu a Canaã, o neto de Noé –, podem ser interrompidas com a prática do bem, de atitudes corretas diante do transgressor – como aconteceu com Jafé e, principalmente a Sem, o qual tornou-se ascendente do Salvador.
3. Aplicações: É preciso romper com a tendência natural de expor, humilhar, ridicularizar e fofocar das pessoas que, como qualquer um de nós, caem em tentação. Ao tomarmos a atitude de resolver e não propagar o erro alheio, seremos ricamente abençoados. Seremos agraciados pela graça divina por amenizar a dor, a aflição e a vergonha dos que caem na desgraça do pecado.

CONCLUSÃO:
1. Nesta vida, podemos cair mesmo após ter recebido grande livramento de Deus, feito um pacto com Ele e experimentado grande manifestação de Sua bondade a qual beneficiou a todos os membros de nossa família. E, podemos também enfrentar dois tipos de atitudes das pessoas: a) Omissão e gozação, representadas pelos Cams da vida; ou, b) Compaixão e resolução, representadas pelos Jafés e Sems da vida.
2. Nesta vida, podemos acarretar sérias maldições sobre nós e nossos filhos se, ao invés de ajudar o caído, negligenciamos sua miséria e colaboramos com sua vergonha. Os canaanitas foram amaldiçoados, foram ferrenhos adoradores de deuses estranhos, praticaram cultos com base na perversão sexual e, por fim, perderam a terra e a vida pelos israelitas sob a direção de Deus.
3. Nesta vida, podemos atrair grandes bênçãos para nós e nossos filhos ao agir com base na graça e na misericórdia divina diante das desgraças alheias. “Há um manto de amor que pode ser colocado sobre as faltas alheias. Além disso, há um manto de reverência que se pode por sobre as faltas dos pais e de outros superiores” (Matthew Henry). Jesus descendeu da família de Sem. O apóstolo Pedro, que negou Jesus e foi tocado pelo olhar de amor de Seu Mestre, escreveu: “E, antes de tudo, tenham fervente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá multidão de pecados” (I Pedro 4:8).

APELO:
1. Vigie para não cair nas armadilhas do pecado como Noé; pois, esse caminho atrai desgraças.
2. Vigie para não agir incorretamente diante dos erros alheios como fez Cam; pois, esse caminho leva a maldição familiar.
3. Vigie para agir com bondade, amor e compaixão; pois, esse caminho conduz as muitas bênçãos.
Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana