segunda-feira, 24 de outubro de 2011

JUSTIFICAÇÃO DO PECADOR PELA FÉ DO FILHO DE DEUS


INTRODUÇÃO: Texto Bíblico: Gálatas 2:15-21
1. A importância da doutrina da justificação pela fé: A palavra justificação aparece 39 vezes no Novo Testamento, das quais 27 vezes é usada pelo apóstolo Paulo, 13 delas estão em Gálatas.
2. A exclusividade da doutrina da justificação pela fé: Enquanto todas as religiões ensinam a prática de alguma coisa para alcançar paz, felicidade e o Céu, o cristianismo é a única religião em que Deus providencia o meio para o ser humano ser aceito diante dEle.
3. A controvérsia sobre a doutrina da justificação pela fé: Satanás trabalha incansavelmente para confundir essa doutrina na mente das pessoas, pois sendo que a justificação pela fé é a doutrina distintiva do cristianismo, ignorá-la ou torcê-la corrompe o cristianismo e o único meio de ser perdoado, justo e reto diante de Deus.

I. A OBEDIÊNCIA À LEI NÃO DESEMPENHA A JUSTIFICAÇÃO DE NINGUÉM – Gálatas 2:15-16
1. Pregação falsa da justificação: Havia uma conspiração contra Paulo que alegava que apresentavam a obediência à lei, seja cerimonial ou moral como meio de justificação diante de Deus.
2. Pregação verdadeira da justificação: Paulo apresenta que a obediência a Deus é a conseqüência e da justificação diante de Deus mediante a fé em Cristo.
3. Pregação clara quanto à salvação: Os hereges não negavam o fato de que a salvação é pelo sacrifício de Cristo; mas para eles Deus justificaria e salvaria somente quem obedecesse. Por outro lado, Paulo disse que a justificação é somente “pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei (obediência), porque pelas obras da lei ninguém será justificado” (verso 16).
a) Não é se a mulher usa saia ou calça que se salva ou deixa de se salvar.
b) Não é pela mulher cortar ou deixar de cortar o cabelo que ela se salva ou deixa de se salvar.
c) Não é pela obediência aos mandamentos ou tradições que os seres humanos são aceitos diante de Deus, mas unicamente pelo sacrifício de Cristo na cruz.

II. A JUSTIFICAÇÃO NÃO PROMOVE O PECADO, MAS A SALVAÇÃO DO PECADOR – Gálatas 2:17-19
A abordagem do apóstolo Paulo apavorou os que defendiam a guarda da lei pensando que assim a igreja estaria promovendo a libertinagem. No entanto, era o contrário; a justificação pela fé promove a salvação do pecado e a santidade de vida em quem aceita Cristo pela fé.
1. O ser humano é justificado diante de Deus morrendo para o pecado e para a lei.
a) A lei condena o pecado e o pecador.
b) A lei revela que o pecador está sentenciado à morte.
c) Ao ser crucificado com Cristo o ser humano morre para o pecado, e em Cristo ele é considerado morto para a lei, passando a viver para Deus (em santidade).
2. O ser humano é justificado diante de Deus quando permite que Cristo viva através dele. Como Cristo nunca desobedeceu a lei Ele guiará a vida do ser humano à obediência.
3. O ser humano é justificado diante de Deus para viver em santidade, não em pecado; pois Cristo não é ministro do pecado.

III. A JUSTIFICAÇÃO É PELA FIDELIDADE DE CRISTO MEDIANTE A FÉ – Gálatas 2:20-21
1. Não é simplesmente pela fé que o pecador é justificado diante de Deus, se fosse assim não seria necessário Jesus ter morrido, era só desenvolver a fé.
2. Não é pela fé a justificação, mas mediante a fé na fidelidade de Jesus. Somos salvos não pela fé, mas pela graça de Deus e de Cristo mediante a fé, a qual é um dom de Deus.
3. Não é a fé que garante nossa salvação, é a fé na fidelidade de Jesus diante de Deus que Jesus demonstrou durante toda Sua vida e Sua morte imerecida é que justifica o pecador diante de Deus.
a) A fé é o instrumento que aceita a perfeita vida de Cristo como sendo sua.
b) A fé é o meio de receber a justiça e a fidelidade de Cristo como sendo sua.
c) A fé é a mão estendida que recebe a morte de Cristo como sendo sua.

CONCLUSÃO:
1. Enquanto que os opositores de Paulo criam que a fé não era suficiente por si só, Paulo disse que a justificação é só pela fé em Jesus.
2. Enquanto que para alguns a salvação dependia de Jesus e da obediência, para Paulo a obediência à lei para a salvação anula a graça de Cristo e Cristo teria morrido em vão. Hoje tem religiões que ensinam que se não fizer isso e aqui, ou deixar de fazer tal e tal coisa não haverá salvação, na Bíblia não é assim.
3. Enquanto que para os acusadores do verdadeiro evangelho a abordagem de Paulo era um pretexto para o pecado, Paulo afirma que a fé é um relacionamento com Cristo, mais profundo e mais eficaz para combater a vida de pecado do que qualquer doutrina da salvação baseada na lei.

APELO:
1. Aceite que há muitas ideias distorcidas do evangelho verdadeiro, e por isso é necessário tomar cuidado para não seguir um evangelho adulterado, misturado com conceitos humanos.
2. Aceite que salvação não é seguir uma lista de regras, mas aceitar mediante a fé a vida, a morte e a ressurreição de Cristo.
3. Aceite morrer agora mesmo para o pecado a fim de que vivas para glorificar a Deus.

Pr. Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu parecer respeitando a ética cristã. Sua opinião será bem-vinda:

Postagens mais acessadas nesta semana